A pílula anticoncepcional pode causar trombose? Saiba mais:

Saúde / Menstruação

Será que a pílula anticoncepcional pode causar trombose? Essa é uma dúvida de muitas mulheres que apostam neste método contraceptivo. Sabemos que as pílulas são indispensáveis na prevenção de uma gravidez indesejada ou até mesmo no controle de cólicas menstruais e sintomas da TPM, mas até que ponto eles são realmente seguras?

Cartela remedio

Foto: © Depositphotos

Trouxemos para você as principais perguntas e respostas sobre o tema. Descubra, de uma vez por todas, se a pílula anticoncepcional causa trombose, além dos riscos à sua saúde.

Domine o assunto e compartilhe a informação com as amigas. Boa leitura!

O que é trombose?

A trombose venosa profunda, conhecida também por TVP, é uma doença causada pela coagulação do sangue em determinado local, local este não adequado para alocar um coágulo. Cabe dizer que a formação destes coágulos representa uma defesa do organismo.

Mulher com trombose

Foto: © Depositphotos

Não é regra, mas em 90% dos casos a trombose surge nos membros inferiores (pernas). Má circulação sanguínea, trauma vascular ou alterações relacionadas ao poder de coagulação sanguínea são três dos principais fatores desencadeantes da trombose venosa.

Quem toma pílula anticoncepcional eleva o risco de trombose?

Sim. Pesquisas e informações da Anvisa alertam para o aumento na probabilidade do surgimento de trombose venosa em quem utiliza as pílulas anticoncepcionais. Mulheres que apostam em métodos anticoncepcionais compostos por drospirenona, gestodeno ou desogestrel , presente nas pílulas, podem ter 6 vezes mais chance de vivenciar um episódio de TVP do que as mulheres que não são expostas a estes hormônios.

Apesar dos riscos expostos, a Anvisa enfatiza que esses riscos não superam os benefícios nas pílulas anticoncepcionais. Em pessoas que não tragam consigo um histórico de saúde que alerte para o uso das pílulas, os riscos são ainda menores.

Leia tambémYaz, Yasmin e Elani são duas vezes mais perigosas que outras pílulas; entenda

Quais são os grupos de risco da trombose venosa?

  • Mulheres com altos índices de estrogênio (seja ocasionado pelo uso de pílulas anticoncepcionais ou pela gestação);
  • Obesidade;
  • Sedentarismo;
  • Tabagismo;
  • Lesões graves ou cirurgias ortopédicas;
  • Mulheres acima de 40 anos;
  • Diabéticas;
  • Quadros frequentes de enxaqueca;
  • Histórico familiar de trombose venosa profunda prévio ou de trombose venosa superficial
  • Insuficiência respiratória crônica
  • Repouso ou imobilidade prolongada
  • Quadros de hipertensão
  • Infarto ou derrame
  • Insuficiência cardíaca congestiva

Então quem, de fato, não pode utilizar a pílula anticoncepcional?

Observando o histórico individual de saúde e os fatores de risco do paciente, incluindo familiares, o especialista indicará o método contraceptivo que apresenta menos riscos à saúde da mulher, sem perder a eficácia. No geral, devem evitar o uso das pílulas:

Anticoncepcional

Foto: © Depositphotos

  • Mulheres maiores de 35 anos;
  • Fumantes;
  • Mulheres com histórico familiar de trombose;
  • Mulheres que sofrem de cefaleia precedida de aura (aquela dor de cabeça latente que faz a paciente ver estrelinhas e raios de luz).

As chances deste grupo de mulheres apresentar algum efeito colateral com o uso da pílula anticoncepcional são maiores do que as que não pertencem ao grupo. Entretanto, há pesos distintos para cada uma das situações: uma mulher de 20 anos que toma pílula, fuma e possui histórico de trombose tem mais probabilidade de sofrer com uma trombose do que uma mulher de 40 anos que não pertence ao grupo de risco, mesmo sendo mais jovem. É preciso analisar caso a caso.

Sinais de alerta na relação trombose x pílula anticoncepcional

1. Dores de cabeça constantes

Antes de se preocupar com as dores de cabeça e associá-las às pílulas anticoncepcionais, verifique seu histórico. Mulheres que já sofriam com dores semelhantes antes de iniciarem o uso das pílulas devem possuir outros problemas de saúde, que talvez não sejam relacionados à pílula. Mas se as ocorrências coincidirem com o período de uso das pílulas, vale acender o sinal de alerta.

Enxaqueca

Foto: © Depositphotos

A Trombose Venal Cerebral, por exemplo, provoca uma dor forte e intensa, aliada a episódios de vômitos e náuseas. A dor é contínua e aumenta a intensidade com o passar das horas. Caso não seja tratada de forma emergencial, pode resultar em um AVC (acidente vascular cerebral), convulsões e até óbito.

2. Alterações no tom de pele

A alteração na cor da pele nas regiões afetadas também pode ser um sinal de alerta para uma possível trombose desencadeada pelo uso de pílulas anticoncepcionais. Existem três possibilidades de coloração: vermelha, azulada ou em tons castanhos. Como o tecido da parte interna das pernas fica endurecido, há também a dificuldade em se locomover.

3. Calor e inchaço

Com a grande dificuldade circulatória ocasionada pela trombose, as toxinas acabam ficando acumuladas e presas nas pernas.

Mulher perna

Foto: © Depositphotos

Quando presas, essas toxinas entram em contato com o nervo periférico, causando ardência, queimação, hipersensibilidade e sensação de calor – que piora durante o período menstrual. O inchaço é causado pelo desequilíbrio da movimentação sanguínea nas pernas.

Como prevenir a trombose venosa profunda?

Agora que você já conhece todos os grupos de risco, os principais sintomas e causas da trombose venosa, é interessante saber como se prevenir e afastar o problema. Anote as dicas dadas pelos profissionais da área da saúde:

1. Faça atividades físicas, de preferência regularmente. A atividade física regulariza a circulação sanguínea, evitando o surgimento de coágulos.

Atividade fisica

Foto: © Depositphotos

2. Não fique parado e sentado por muitas horas. Opte sempre por caminhar, nem que seja dentro de casa mesmo, em alguns intervalos.

3. Não fume e não consuma álcool, principalmente se utilizar pílulas anticoncepcionais. O uso combinado pode elevar as chances de trombose venosa.

4. Alimente-se de forma equilibrada, sempre optando por alimentos balanceados.

5. Mantenha o peso.

6. Caso já tenha sofrido com casos de trombose ou hipertensão, utilize regularmente meias de compressão. O mesmo vale para pessoas que ficam muito tempo em pé ou sentadas. As meias melhoram a circulação e aliviam as dores.

Afinal, a pílula anticoncepcional pode causar trombose?

Sim, a pílula anticoncepcional pode elevar o risco de trombose venosa, mas não em todas as mulheres. Como comentamos, devem ser analisados, por você e seu médico, cada um dos possíveis fatores e mensurar os riscos à sua saúde. O mais indicado é manter o acompanhamento regular com o médico ginecologista e em caso de alterações e sintomas diferentes, informá-lo o mais breve possível!

Você pertence ao grupo de risco? Faz uso de pílulas concepcionais? Tem algum relato para compartilhar com a gente? Deixe seu comentário!

Por Tatiane Andrade / Edição: Dona Giraffa

 • Conheça cinco fatores que podem interferir no efeito do anticoncepcional

Publicidade

5 comentários

  • Erinalda disse:

    Parei de tomar ciclo 21 há um mês por causa do medo ta trombose, não estou no grupo de risco e nunca senti nada de estranho, tomei por 7 anos, queria voltar a tomar mais tenho medo,,será que corro risco.???
    Tenho 30 anos e uma filha de 7.

    Responder
    • Dona Giraffa disse:

      Oi Erinalda, você pode desenvolver trombose sem estar no grupo de risco. Na verdade as pessoas deste grupo são mais suscetíveis a desenvolver. O melhor a fazer, antes de tomar qualquer tipo de anticoncepcional é conversar com um ginecologista. Beijos!

      Responder
      • Erinalda disse:

        Obg pela resposta!!!
        E no caso de não poder tomar anticoncepcional, qual seria o método mais confiável pra evitar uma gravidez???
        Beijos!!!

        Responder
        • Dona Giraffa disse:

          Tem a camisinha que é um método bem seguro, o DIU de cobre também é um bom método.

          Responder
          • Erinalda disse:

            Obg!!!!

Deixe seu comentário