Lista com os 4 anticoncepcionais injetáveis mais usados

Saúde / Menstruação

Ao visitar seu médico ginecologista pode ser que ele tenha sugerido a você o uso de anticoncepcionais injetáveis. Se isso aconteceu, você precisa conhecer quais são os principais tipos e tirar dúvidas sobre o procedimento para poder optar por aquele que melhor se adequa ao seu estilo de vida.

Os anticoncepcionais injetáveis são usados por muitas mulheres que buscam uma maior facilidade ao utilizar um método contraceptivo, além de possuir uma segurança alta assim como as pílulas não é preciso se lembrar de tomá-lo todos os dias. Também existem dois tipos de anticoncepcionais que são administrados pela via injetável.

Método contraceptivo

Foto: © Can Stock Photo

Um deles deve ser repetido a cada 30 e o outro a cada 90 dias. Outra diferença é quanto a sua composição. Enquanto alguns contêm somente progesterona, como o acetato de medroxiprogesterona, outros possuem também estrogênio, que aparece na fórmula como cipionato de estradiol, sendo que existem outros princípios ativos também.

É o médico ginecologista que pode aplicar a injeção, no seu consultório ou mesmo uma enfermeira, sendo que algumas das injeções são subcutâneas e outras intramusculares.

Assim, como as pílulas, existe uma grande variedade de opções. Veja abaixo a lista com os mais usados anticoncepcionais injetáveis e saiba um pouco mais sobre cada um deles:

Os 4 anticoncepcionais injetáveis mais usados

1. Noregyna

Esse é um dos mais populares entre as diversas marcas de anticoncepcionais injetáveis, sendo que a sua fórmula é composta de dois hormônios.

Além de ser indicado para mulheres que não desejam engravidar, o Noregyna também é prescrito para amenizar as cólicas menstruais e os sintomas mais comuns da TPM, como dor de cabeça.

Outra de suas utilidades é o de regular o fluxo menstrual. Assim como algumas pílulas, o Noregyna reduz as chances de cistos nos ovários, gestação tópica e anemia provocada pela falta de ferro. Mesmo com tantas vantagens é importante conversar com o seu ginecologista antes de começar a usá-lo.

Esse profissional é o mais indicado a prescrever o anticoncepcional injetável conforme o perfil de cada mulher. Todos os métodos contraceptivos possuem efeitos colaterais e ao avaliar o histórico da paciente é possível receitar o mais adequado.

Embora não seja uma regra, é possível que a mulher fique com os seios inchados, tenha dor de cabeça e enjoos.

Outros sintomas adversos são mudança de humor e da libido, depressão, ganho ou perda de peso e alergia a lentes de contato. O seu método é mensal e assim uma nova injeção deve ser feita a cada mês. (Pelo período de no mínimo 27 dias a 33 dias). Ao fazer uso do Noregyna a mulher não menstrua, mas pode haver escapes, o que não é motivo de preocupação.

Noregyna – Bula

2. Depo Provera

Esse outro anticoncepcional injetável é muito prescrito pelos médicos e tem em sua fórmula acetato de medroxiprogesterona que, além de evitar uma gravidez indesejada regula o ciclo menstrual. Também possui os benefícios de diminuir os sintomas da TPM, casos de cistos no ovário, gravidez ectópica, cólicas e anemia.

Também é usado para tratar distúrbios hormonais, excesso de pelos (hirsutismo) e doenças relacionadas ao aumento da produção de andrógenos. O Depo Provera como outros anticoncepcionais injetáveis pode ainda amenizar a oleosidade dos cabelos e da pele. Já os seus efeitos colaterais englobam dor de cabeça e náusea.

O Depo Provera pode causar ainda câimbras, carência de crescimento capilar, taquicardia, mudanças no tamanho da mama, nódulos nas mamas, sangramento do mamilo e problemas de fertilidade, por isso, é importante que antes de começar a usá-lo a mulher converse com o seu ginecologista.

Outros efeitos são tensão mamária, mudanças na libido e no humor, alterações no peso, sangramentos, inclusive, anais, e em alguns casos pode haver dificuldade em usar lentes de contatos. Nem todas as mulheres sentem os mesmos sintomas adversos e, em algumas, nenhum deles de manifesta.

A injeção deve ser feita a cada três meses. É contraindicado a mulheres alérgicas a sua composição, que estejam grávidas ou amamentando, que já tiveram aborto retido ou sofrem de alterações da função hepática. Também não pode ser usado em casos de histórico de acidente vascular cerebral, infarto do miocárdio ou anemia.

Depo Provera – Bula

3. Mesigyna

Esse anticoncepcional injetável deve ser aplicado a cada 30 dias, sendo que preveni a gestação, mantem o fluxo menstrual regulado e reduz os sintomas da TPM. Já os seus efeitos adversos são os escapes, tromboses, aumento da pressão arterial e das chances de endometriose e infecções vaginais.

As mamas podem ficar sensíveis, doloridas e com secreção, sendo que outros sintomas adversos incluem vômito, enjoo, dor de cabeça, mudanças de humor e de peso, retenção de líquidos, redução da tolerância à glicose, irritações na pele, problemas hepáticos e dor ao respirar e tossir.

O Mesigyna conta com um maior número de efeitos colaterais. Além disso, não é indicado a quem tem histórico familiar de problemas cardiovasculares ou cerebrovasculares, hipertensão grave, distúrbios hepáticos, Síndrome de Rotor e de Dubi-Johnso, presença ou suspeita de tumores estrogênio-dependentes, epilepsia, porfiria, hiperlipoproteinemia e hiperplasia endometrial.

Mesigyna – Bula

4. Perlutan

Também é eficiente em evitar uma gravidez não planejada, diminuir os efeitos da TPM e mesmo o fluxo menstrual e a acne. O Perlutan é usado ainda como reposição hormonal, mas somente se prescrito por um médico. O seu princípio ativo é o acetofenido de algestona.

Já os efeitos adversos incluem aumento de sódio no sangue, irritabilidade, depressão, mudança de peso e na libido, tontura, dor de cabeça, problemas de visão e de audição. Na lista entra ainda derrame, trombose arterial e venosa, embolia, hipertensão, tromboflebite, dor no abdômen, enjoo e vômitos.

Esse anticoncepcional injetável pode causar outros efeitos, como acne, coceira na pele, retenção de líquidos, desconforto nas mamas, cólica, ondas de calor e distúrbios hepáticos.

O seu uso é mensal e a injeção não deve ser aplicada em mulheres com neoplasia maligna da mama, dores fortes de cabeça, hipertensão grave, cirrose, doença vascular, diabetes (em alguns casos), hepatite, neuropatia e lúpus.

Perlutan – Bula

Agora que você já conhece os anticoncepcionais mais usados pelas mulheres, pergunte ao seu médico sobre qual deles você pode aplicar e desfrute dos benefícios!

Por Vivian Fiorio / Edição: Dona Giraffa

• Pílulas anticoncepcionais mais utilizadas no Brasil

Publicidade

24 comentários

  • Nadia disse:

    So queria corrigir uma informação que vc passou errada. A Mesigyna deve ser aplicada mensalmente e não a cada 90 dias como você falou. Tomo há 10 anos e sempre foi mensal.

    Responder
    • Dona Giraffa disse:

      Olá Nádia! Corrigido. Obrigado! 🙂

      Responder
  • Aline disse:

    Tenho 3 filhos e não quero mais engravidar de jeito nenhum kkkkk tomo injeção de depo- provera é realmente eficaz ou preciso usar outro método anticoncepcional junto tipo preservativo????

    Responder
  • Sara disse:

    Queria saber que só o ginecologista pode passar algum tipo de injeção ou o medico clínico geral pode?

    Responder
    • Dona Giraffa disse:

      Oi Sara, somente um ginecologista. Beijos!

      Responder

Deixe seu comentário