Quando o amor vira obsessão: identifique os sintomas da doença

Relacionamento

A paixão, o amor verdadeiro e a obsessão são estágios diferentes que podem ser desenvolvidos na vida de quem tem os sentimentos mexidos por outra pessoa. A paixão é muito parecida com a obsessão, à diferença é que a primeira representa uma emoção comum do primeiro contato com alguém especial. A paixão pode se manifestar de diversas formas, como quando o coração palpita ao encontrar com ele e os pensamentos ficam focados no amado.

Quando essa euforia inicial passa, mas o sentimento de apego permanece, o amor começa a aparecer aos poucos. Não há mais o nervosismo na presença dele nem a mente dominada pelo sorriso do parceiro, mas a necessidade de estar perto de quem ama, proteger e dividir a vida juntos não desaparece.

será que é amor ou obsessão

Foto: (c) Can Stock Photo

Porém, se o amor vira obsessão, alguns sentimentos da fase da paixão voltam com tudo: o amado passa a dominar a cabeça e, a possibilidade de perdê-lo gera um pânico profundo e provoca atitudes irracionais. (Pessoas possessivas, amor verdadeiro ou amor doentio?)

Não querer perder quem se ama é uma convicção comum para muitos casais, porém, a maneira como as pessoas lidam com as crises nos relacionamentos pode dizer muito se o sentimento pelo parceiro é de amor ou de obsessão. A obsessão é considerada um transtorno compulsivo que, se não for controlado, pode ser perigoso para a saúde do paciente e das pessoas que participam da vida dele. Para quem se identificar como vítima dessa patologia, o ideal é fazer um tratamento com ajuda profissional e buscar o controle através da psicoterapia.

Confira quatro características dos obsessivos e reflita se você não está indo longe demais por ele:

Perfil controlador

A pessoa que apresenta comportamento obsessivo-compulsivo pode querer manter controle total da vida do parceiro. A paranoia se manifesta de um jeito incontrolável e tudo vira suspeita de mentiras e traições. Chegar mais tarde em casa ou sair para espairecer com os amigos começam a parecer fortes indícios de que há outro envolvimento amoroso no jogo.

Além das desconfianças com pouco embasamento real, a obsessão também se manifesta através de perseguições. As mulheres com essa doença passam a querer saber sobre cada passo dado pelo parceiro, onde foi e por que foi, mostrando uma necessidade de domínio sob a outra pessoa.

Essas características são perigosas e podem causar o fim do relacionamento, pois, por mais que o companheiro goste da namorada ou esposa, o estilo de vida torna-se pesado e, a convivência com a portadora da patologia pode ser infernal. (Saiba quais são os tipos de ciúmes | Descubra o seu!)

Não aceita a rejeição

Conviver e controlar o sentimento de rejeição é muito complicado para um portador do transtorno obsessivo-compulsivo. O pior medo da vida do doente é justamente perder a pessoa na qual ele julga amar, por isso, se a ameaça de ficar sozinho for concretizada, qualquer loucura pode aparecer para tentar evitar o prejuízo.

amor controlador

Foto: (c) Can Stock Photo

Nesses casos, é comum que o paciente faça ameaças de suicídio e outras loucuras que poderiam afetar ele mesmo ou o companheiro. Quem se relaciona com uma pessoa obsessiva precisa tomar muito cuidado com as atitudes, pois no auge da falta de controle, qualquer ameaça que pareça improvável pode tornar-se real.

O parceiro é o centro de tudo

Assim como os apaixonados que passam o dia admirando as qualidades da pessoa que gosta, os obcecados também possuem essa mania, mas de uma forma não saudável. Os outros campos da vida do portador passam a ser deixados de lado, pois a coisa mais importante é manter o companheiro próximo e dominado. (12 coisas que os homens odeiam nas mulheres)

Um portador dessa patologia pode negligenciar a profissão, a própria saúde, a família e amigos de um jeito que passa a se isolar e sofrer as consequências do desequilíbrio pessoal. A doença se manifesta apenas em alguns momentos da vida do portador, porém, se houver desconfianças e motivos para preocupações, o que seria apenas um sentimento de dúvida em uma pessoa normal, transforma-se em um motivo para brigas desenfreadas e comportamento compulsivo.

A tendência é que, se não houver tratamento, a pessoa entre em decadência emocional e passe a ter cada vez mais dificuldades de relacionar-se com alguém e de conviver em sociedade.

Ameaça de depressão

Uma tendência comum para as vítimas do transtorno é cair em depressão por poucas razões. Uma briga sem motivos ou um sentimento negativo gerado por uma desconfiança ou pela imaginação destrutiva podem ser suficientes para o desenvolvimento da depressão.

O sentido da vida é desviado para a presença da pessoa na qual o pensamento obsessivo foi desenvolvido e, qualquer conflito com esse companheiro pode causar problemas graves para a mente do doente. Com o tempo, os momentos depressivos tendem a se tornar mais frequentes do que os períodos felizes, o que demonstra a necessidade de um tratamento para recuperar a qualidade de vida.

Por Ana Paula Bretschneider / Edição: Dona Giraffa

Publicidade

34 comentários

  • Julia Grasiella disse:

    Bom, estou vivendo exatamente isso. Terminei meu relacionamento mas não consigo esquecer meu ex muito menos imaginar minha vida longe dele… Ele ja esta seguindo sua vida e eu continuo parada no mesmo lugar presa a esse sentimento ruim, não considero mais como amor pois dói muito e me tira a paz, eu não consigo me concentrar nas coisas, não consigo mais ser quem eu era antes, é como se tivesse algo dentro de mim bloqueando qualquer sentimento bom que queira tomsr conta de mim. As vezes me sunto melhor e com forças de superar tudo isso mas é passageiro, a “motivação” dura muito menos que a tristeza e a falta que ele me faz.. não sei se consigo me livrar disso sozinha..

    Responder
  • Ana Paula disse:

    Nossa e horrível saber q sou assim, n sei mesmo como controlar isso. Vejo q meu relacionamento está acabando, td por culpa minha, fico muito triste por ser tão obseciva, isso tá me matando e matando meu marido. N consigo mais trabalha, abandonei a faculdade, e só continua piorando a situação. N sei mais o q fazer, fico muito triste c toda essa situação, queria muito ter uma vida normal.

    Responder
  • Sarah disse:

    Estou vivendo justamente isso e como faço terapia ha anos consigo identificar quando algo adoece em mim. E dessa forma em minha ultima terapia relatei a sensação de estar obcecada pelo meu namorado sem saber como lidar com isso. Estou em tratamento e sei que logo estarei liberta deste apego doentil. Amei a matéria. Ela relata extamente todos os sintomas. Quando olhamos muito para nós mesmos conseguimos entender o que se passa e de acordo com todos esses sintomas descritos aqui vi que precisava trabalhar este meu lado. Vamos em frente sempre em busca de ajuda quando não conseguirmos sozinhos. Tudo tem saída basta identificar e buscar auxilio. Namastê

    Responder
  • Luisa disse:

    Gostaria de saber se isso tbm pode acontecer em relacionamentos fraternais, um amigo o qual nos considerávamos irmãos, começou a agir de uma forma um pouco obssessiva e paranóica comigo, por exemplo se eu n responder uma msg no chat ele entra em desespero, ou até mesmo se a possibilidade de eu estar triste ou machucada em sua cabeça faz com q ele mais uma vez chore de desespero…

    Responder
    • Dona Giraffa disse:

      Oi Luisa, pode sim!

      Responder
  • Gelzo disse:

    Parabéns, tudo muito bem explicado de uma maneira clara e objetiva.

    Responder
  • Yngridi disse:

    Eu estou a 2 anos com meu esposo, eu sei q nao amo ele de verdade mais eu sou muito controladora eu nao consigo imaginar ele com outra mulher de forma alguma so de ele curtir uma foto de uma mulher no facebook eu fico com vontade de enfiar uma faca nele eu n consigo me controlar, odeio que ele olhe pra outras mulheres parece um amarração nao consigo me livrar o que eu faço, ?????

    Responder
    • Dona Giraffa disse:

      Amiga! Cuidado com esse comportamento, não é saudável para nenhuma relação. Você pode procurar um terapeuta para conseguir lidar com isso. Beijos

      Responder
  • Regina Ribeiro disse:

    Conheço alguém com essas características e o pior não me deixa em paz

    Responder
  • Ivana P disse:

    Boa tarde, conheci um rapaz há 4 ms, na rede social, e conversamos pelo whast, mas ele tem se mostrado um tanto controlador, qdo saio quer saber onde fui, porque demorei, fica com raiva, fica me perguntando até que não aguento e falo, não fala comigo, se ligo pra conversar ou não atende e qdo faz desliga o tel na minha cara,se estou on line diz que estou conversando, com alguem, monitora o tempo que levo do meu serviço até minha casa, as vezes é rude, diz que me ama, criou um perfil ( fake, ) pede varias vezes as msm coisas,desconfia de tudo, um dia que fiquei sem entrar nas redes social, foi o caos, enfim, se eu for contar tudo. Porque?

    Responder
    • Dona Giraffa disse:

      Olá Amiga! Olha, cuidado com pessoas assim. Se ele é assim virtualmente, imagina pessoalmente. Beijos!

      Responder
  • Karla disse:

    Eu estou louca louca estou infernizando a vida do meu marido ele não podé assistir ou ouvir alguma música; se ele curtir alguma página de famosa quase Mato ele deixei de sair na rua com ele por causa das minhás obseções; estou me isolando tenho pensamentos negativos não consigo viver em sociedade ; estou sofrendo muito meu auto estima está lá no meu **** não tenho animo pra nada nao queria estar passando por isso ???

    Responder
    • Dona Giraffa disse:

      Oi Karla, porque você está assim? Algum motivo a levou a esse comportamento? Procure ajuda, talvez um terapia. Tente preencher seu tempo com coisas que você goste.

      Responder

Deixe seu comentário