Como evitar a possessividade no relacionamento

Relacionamento
Possessividade no relacionamento

Foto: (c) Can Stock Photo

Vivemos num mundo regido pelo pronome possessivo “meu”. Com isso, nos tornamos egoístas, achando que temos o direito de nos apoderar de tudo aquilo que nos cerca. Inclusive quando se diz respeito de relacionamentos.

O sentimento de possessividade anda de mãos coladas com o ciúme. Por algum motivo, vamos logo supondo que o (a) parceiro (a) nos pertence. E isso gera brigas desgastantes que muitas vezes levam ao fim da relação.

-> Pessoas possessivas, amor verdadeiro ou amor doentio?

Se você sofre com isso, confira abaixo algumas dicas de como evitar a possessividade no seu relacionamento:

O ciúme patológico e a possessividade

Por mais que o ciúme seja um grande ponto de discussão nos relacionamentos, precisamos nos lembrar de uma coisa. Existem níveis de ciúme que vão desde o saudável até o patológico. O patológico é caracterizado por aquela pessoa que passa o dia imaginando que o outro a está traindo. É aquela pessoa que chega ao ponto de seguir o (a) parceiro (a) para ver se ele (a) está mesmo indo trabalhar ou estudar.

É um ciúme tão doentio que pode vir acompanhado de um forte sentimento de querer controlar o outro desde a roupa que ele veste até os amigos com quem fala. Normalmente, é esse ciúme que traz consigo a possessividade. Numa mistura de medo, insegurança e baixa autoestima, a pessoa entra numa neurose de querer controlar tudo e todos.

-> Saiba quais são os tipos de ciúmes | Descubra o seu!

Querer negar o fato de que a vida, e especialmente seu relacionamento, podem mudar da noite pro dia, as pessoas acreditam que se conseguirem manter tudo sob controle, as coisas sempre sairão conforme o planejado.

A possessividade sem o ciúme

Pode acontecer também desse sentimento surgir em pessoas que confiam plenamente em seus parceiros. Nesse caso, a possessividade pode vir acompanhada naqueles momentos em que o parceiro não está conosco. Como se sentíssemos uma saudade doentia e não se sabe lidar com a distância ou com a ausência da pessoa.

Mesmo que se tenha passado o dia com ela, à noite vem a vontade de querer ela ao nosso lado novamente, e fica-se com inveja da independência que a pessoa tem quando não está conosco. Aqui ocorre uma mistura de carência com insegurança.

Como evitar a possessividade no relacionamento

Não é uma coisa que se resolve da noite pro dia. Se quem sofre com esse sentimento é você, ficam as dicas:

– Queira mudar. Nenhuma mudança acontece de verdade se você não tiver isso bem claro na sua mente. Admitir que se tem um problema e querer realmente resolvê-lo já é um grande passo.

– Permita-se entender que você não é dono (a) dele (a). Vocês estão juntos por opção, e não porque alguém os obrigou.

– Se você sofre com a ausência da pessoa no melhor estilo “saudade exacerbada”, lembre-se que vocês são 1 antes de serem 2. Ambos têm o direito de cultivar a individualidade. Assim como você tem sua vida, seu estudo/trabalho, seus hobbies e seus amigos, ele(a) também tem. E vocês não precisam fazer tudo junto porque não nasceram grudados um no outro.

– Pratique a arte do desapego e seja responsável por sua própria felicidade!

– Tenha em mente também que quanto menos liberdade você der ao outro, ou quanto mais controladora você parecer, maior será a vontade da pessoa se ver livre de você.

– Ciúme e possessividade não são prova de amor. A maior prova de amor é quando você entende que o outro não pertence a você e que é seu dever deixa-lo livre para ir e vir.

Se é seu parceiro (a) que sofre disso:

– Escolha um momento apropriado para vocês conversarem. Diga a ele(a)

– Toda a vez que ele(a) agir de forma ciumenta ou possessiva, ainda mais em público, puxe ele (a) pra um canto e acalme-o (a). Diga que você o(a) ama e que não existe motivo algum para agir desse jeito.

– Caso isto esteja levando ao fim e ao desgaste da relação, sugira que ele (a) procure ajuda profissional, como acompanhando psicológico.

– Não fique com pena! Pois quando isso acontece, as chances de você se submeter ao comportamento dele (a) aumentam, e isso não ajuda em nada.

Por Camila Mazi
Redação Dona Giraffa
Crédito da Imagem: (c) Can Stock Photo

Confira também

# Como driblar mentalmente o próprio ciúme
# Falta de confiança no namoro. O que fazer?
# Beijo na boca é traição? Sim ou não?
# Confira 12 ingredientes que um bom relacionamento deve ter

Publicidade

19 comentários

  • Taís disse:

    Eu perdi meu namorado por ser possessiva, ele disse q só volta cmg se eu mostrar q eu mudei. Minha possessividade por ele é q eu quero ele o tempo todo cmg, não aceito ele sair com amigos, eu quero carinho, atenção, foram coisas q eu não tive muito dos meus pais na infância e até hj, eu tenho medo de perder meu namorado, tanto q acabei perdendo. Eu queria mudar, é difícil. Oq eu poderia fazer para conseguir mudar?

    Responder
    • Dona Giraffa disse:

      Oi Taís! A vontade de mudança em primeiro lugar tem que partir de você. A partir do momento que você realmente reconhecer que a sua possessividade está te atrapalhando vai ser mais fácil uma mudança. Eu sugiro você preencher seu tempo com coisas que você goste de fazer, tirar o foco do relacionamento.

      Responder
  • Michel disse:

    Infelizmente estou passando por esse momento, minha namorada nunca deu motivo para desconfiar dela, mas recentemente ela começou a trabalhar, e isso tá me fazendo muito mau e a ela também, minha mente fica imaginando coisas onde não existe, sei que estou fazendo ela sofrer por isso com inúmeras cobranças e eu também estou sofrendo já perdi uma por o mesmo motivo e não quero perder a minha atual agora, se possível me ajude com uma palavra amiga, desde já agradeço.

    Responder
    • Dona Giraffa disse:

      Oi Michel, só depende de você. Qual o problema no trabalho dela? Acho melhor você começar a preencher o seu dia-dia com outras coisas e tentar tirar o foco dessa possessividade.

      Responder
    • Sebastião Armando novela disse:

      Bom dia Michel
      Epha Não sei o que dizer porque para mim e ao contrário eu e que comecei a trabalhar e essa distância mi fãs pensar coisas que não existe sempre brigo com ela porque não me liga ou não manda mensagem já eu não sei o que fazer para resolver minha situação pesso um help

      Responder
  • Samila disse:

    Me ajudou muito.
    Meu namorado exerce a possessividade de maneira doentia. Eu gosto dele e não quero desistir da nossa relação, quero ajuda-lo. Recentemente pedi um espaço pra ele pq ele me sufocava com ligações o dia inteiro e deu o ultimato que se não mudasse iríamos terminar e ele está se saindo muito bem.
    Eu tenho esperança que com o tempo ele mude.

    Responder
    • Dona Giraffa disse:

      Olá Samila, você está fazendo certo. Sempre converse com ele sobre tudo que você acha que está excessivo na relação. Se ele está demostrando mudanças em seu comportamento, é um bom sinal. Boa Sorte!

      Responder
  • Mls disse:

    Mas quando o homem vive a aprontar??! Deve-se sempre ficar na ideia de achar q ele tem q ter liberdade para não nos achar pegajosa, chata, ciumenta,enfim.

    Responder
    • Dona Giraffa disse:

      Olá, obrigado pelo comentário!

      Quando um homem apronta em um relacionamento nos mostra que ele não está levando realmente a sério, que não tem maturidade para se comprometer de verdade com alguém.
      Não vale a pena investir em relações assim, é tempo perdido. E no final é você que é taxada como a “louca ciumenta”. Saia fora, vá ser feliz!!!!

      Beijinhos.

      Responder
  • Daniel Dias Gomes disse:

    E quando a pessoa não reconhece, e se indica ajuda de um profissional e ela diz que não é louca e que não precisa de um médico.

    Responder
    • Dona Giraffa disse:

      Oi Daniel, obrigado pelo comentário!

      Cuidado com pessoas assim, que são muito possessivas e não conseguem se enxergar como são, acham que é amor.
      Aí que mora o perigo. Diálogo neste caso é muito importante, e até uma ajuda com Terapia é bem vindo.

      Boa sorte, beijos!

      Responder
  • Patricia disse:

    Me encaixo na parte do “A possessividade sem o ciume” , tento ao máximo controlar isso.
    Confio na pessoa, porém minha mente cria ilusões e medos dos quais me deixam completamente voltada pensando naquilo, meu rendimento no trabalho tem caído muito, ando muito desanimada.
    Pensando seriamente em ajuda profissional, mudar isso antes que acabe com meu relacionamento.
    Se alguém tiver algum terapeuta para indicar… Moro em SP Capital

    Responder
  • Marcelo disse:

    Por favor me ajudem, sou ciumento e possessivo,quero me controlar.

    Responder
  • José Mauro disse:

    Muito boa a matéria, sou possessivo. Mas reconheço isso, to me esforçando para mudar, entrei em um relacionamento a pouco tempo, e vejo que ela vale a pena, confio nela, mas a minha mente cria coisas para que eu não fique bem, mas eu luto contra minha própria mente para que isso suma, sei que ela é de respeito, mas a minha mente fica tentando transformar a minha anjinha em uma diabinha, mas eu confio nela. Quero muito que isso mude logo, pois quem acaba sofrendo sou eu e ainda hoje, eu olho pra roupa que ela usa mas já não tento controlar e nem demonstro insatisfação, porém ainda há parte dessa vontade de controlar, mas to me esforçando e acredito SIM que vou conseguir me separar dessa possessividade! 🙂

    Responder
  • ANA disse:

    ótima matéria, sofro muito com ciumes e sou extremamente possessiva, cúmulo quando estou ficando com uma pessoa apenas uma semana e essa pessoa me manda uma mensagem dizendo que vai sair com os amigos e eu ficar com raiva, realmente, preciso de ajuda!

    Responder
  • Ana Paula disse:

    EXCELENTE MATÉRIA ! SOU MUITO POSSESSIVA E SOFRO COM ISSO, ME IDENTIFIQUEI COM A MATÉRIA E VOU TENTAR MUDAR POIS ESSE SENTIMENTO ESTÁ FAZENDO COM QUE EU SOFRA E ME AFASTANDO DA PESSOA.

    Responder
    • Carlos Munhoz disse:

      Olá
      Algumas pessoas argumentaram que tentarão mudar pois se encaixaram na matéria. Gente, não fique somente na tentativa não viu…..mudem mesmo….
      bjus!

      Responder

Deixe seu comentário