Como evitar a possessividade no relacionamento

Relacionamento
Possessividade no relacionamento

Foto: (c) Can Stock Photo

Vivemos num mundo regido pelo pronome possessivo “meu”. Com isso, nos tornamos egoístas, achando que temos o direito de nos apoderar de tudo aquilo que nos cerca. Inclusive quando se diz respeito de relacionamentos.

O sentimento de possessividade anda de mãos coladas com o ciúme. Por algum motivo, vamos logo supondo que o (a) parceiro (a) nos pertence. E isso gera brigas desgastantes que muitas vezes levam ao fim da relação.

-> Pessoas possessivas, amor verdadeiro ou amor doentio?

Se você sofre com isso, confira abaixo algumas dicas de como evitar a possessividade no seu relacionamento:

O ciúme patológico e a possessividade

Por mais que o ciúme seja um grande ponto de discussão nos relacionamentos, precisamos nos lembrar de uma coisa. Existem níveis de ciúme que vão desde o saudável até o patológico. O patológico é caracterizado por aquela pessoa que passa o dia imaginando que o outro a está traindo. É aquela pessoa que chega ao ponto de seguir o (a) parceiro (a) para ver se ele (a) está mesmo indo trabalhar ou estudar.

É um ciúme tão doentio que pode vir acompanhado de um forte sentimento de querer controlar o outro desde a roupa que ele veste até os amigos com quem fala. Normalmente, é esse ciúme que traz consigo a possessividade. Numa mistura de medo, insegurança e baixa autoestima, a pessoa entra numa neurose de querer controlar tudo e todos.

-> Saiba quais são os tipos de ciúmes | Descubra o seu!

Querer negar o fato de que a vida, e especialmente seu relacionamento, podem mudar da noite pro dia, as pessoas acreditam que se conseguirem manter tudo sob controle, as coisas sempre sairão conforme o planejado.

A possessividade sem o ciúme

Pode acontecer também desse sentimento surgir em pessoas que confiam plenamente em seus parceiros. Nesse caso, a possessividade pode vir acompanhada naqueles momentos em que o parceiro não está conosco. Como se sentíssemos uma saudade doentia e não se sabe lidar com a distância ou com a ausência da pessoa.

Mesmo que se tenha passado o dia com ela, à noite vem a vontade de querer ela ao nosso lado novamente, e fica-se com inveja da independência que a pessoa tem quando não está conosco. Aqui ocorre uma mistura de carência com insegurança.

Como evitar a possessividade no relacionamento

Não é uma coisa que se resolve da noite pro dia. Se quem sofre com esse sentimento é você, ficam as dicas:

– Queira mudar. Nenhuma mudança acontece de verdade se você não tiver isso bem claro na sua mente. Admitir que se tem um problema e querer realmente resolvê-lo já é um grande passo.

– Permita-se entender que você não é dono (a) dele (a). Vocês estão juntos por opção, e não porque alguém os obrigou.

– Se você sofre com a ausência da pessoa no melhor estilo “saudade exacerbada”, lembre-se que vocês são 1 antes de serem 2. Ambos têm o direito de cultivar a individualidade. Assim como você tem sua vida, seu estudo/trabalho, seus hobbies e seus amigos, ele(a) também tem. E vocês não precisam fazer tudo junto porque não nasceram grudados um no outro.

– Pratique a arte do desapego e seja responsável por sua própria felicidade!

– Tenha em mente também que quanto menos liberdade você der ao outro, ou quanto mais controladora você parecer, maior será a vontade da pessoa se ver livre de você.

– Ciúme e possessividade não são prova de amor. A maior prova de amor é quando você entende que o outro não pertence a você e que é seu dever deixa-lo livre para ir e vir.

Se é seu parceiro (a) que sofre disso:

– Escolha um momento apropriado para vocês conversarem. Diga a ele(a)

– Toda a vez que ele(a) agir de forma ciumenta ou possessiva, ainda mais em público, puxe ele (a) pra um canto e acalme-o (a). Diga que você o(a) ama e que não existe motivo algum para agir desse jeito.

– Caso isto esteja levando ao fim e ao desgaste da relação, sugira que ele (a) procure ajuda profissional, como acompanhando psicológico.

– Não fique com pena! Pois quando isso acontece, as chances de você se submeter ao comportamento dele (a) aumentam, e isso não ajuda em nada.

Por Camila Mazi
Redação Dona Giraffa
Crédito da Imagem: (c) Can Stock Photo

Confira também

# Como driblar mentalmente o próprio ciúme
# Falta de confiança no namoro. O que fazer?
# Beijo na boca é traição? Sim ou não?
# Confira 12 ingredientes que um bom relacionamento deve ter

Publicidade

19 comentários

  • Sebastião Armando novela disse:

    Bom dia…. Eu e minha namorada estamos sempre discutido ela te muitos amigos que não vão com a minha cara e ela sabe que sou ciumento sempre que falo com ela acabamos. Discutido já não sei o que fazer peço um conselho…

    Responder
    • Dona Giraffa disse:

      Oi Sebastião, porque os amigos dela não gostam de você? Tente se aproximar do ciclo de amizade dela e controle esse seu ciúme e possessividade pois, só serve para estragar qualquer relacionamento.

      Responder

Deixe seu comentário