O que é fluxo vaginal?

Saúde

Sabe aquele líquido transparente, ou até mesmo esbranquiçado que sai da vagina e geralmente fica retido em sua calcinha? Ele é conhecimento por fluxo vaginal, e por mais estranho que pareça, na maioria dos casos protege o órgão contra ressecamento e de infecções.

mulher com fluxo vaginal

Foto: (c) Can Stock Photo

Esse fluxo vaginal tende a mudar ao longo do período menstrual, podendo aumentar de quantidade mais ou menos duas semanas após o fim da menstruação, quando o ciclo chega à sua metade, coincidindo com a época em que a mulher começa a ovular.

Ao longo da vida adulta a mulher terá de conviver com o fluxo, por mais indesejado que ele seja, e para isso é importante obter o máximo possível de informações para que você possa viver da melhor forma possível:

O que é fluxo vaginal?

O fluxo, ou corrimento vaginal, é caracterizado por uma irritação na vagina ou na vulva ou por uma saída de secreção vaginal anormal, com ou sem cheiro desagradável.

Esse fluxo pode vir acompanhado de aumento da frequência urinária, coceira e ardência.

-> Coceira vaginal: entenda o motivos

Causas

As causas mais comuns para o surgimento do fluxo vaginal são infecções vaginais, infecções do colo do útero e doenças sexualmente transmissíveis, as DSTs.

-> Corrimento esverdeado, qual motivo?

Diagnóstico

Ao visitar seu ginecologista, ele fará o diagnóstico por meio de sua história clínica, exame ginecológico e até mesmo exames complementares.  Com base nas características do corrimento, seu médico poderá identificar o causador do problema e orientá-la na melhor forma de tratamento.

Como evitar o corrimento vaginal:

• Use roupas que não apertem a região genital. Prefira calças mais largas, com tecidos leves e não sintéticos.

• Utilize calcinhas de algodão, deixando de lado aquelas com lycra ou nylon. De preferência, durante a noite durma sem calcinha, para que a pele da região genital possa respirar.

• Lave suas roupas íntimas com sabão de coco ou neutro. Evite o uso de amaciantes e água sanitária, pois esses produtos aderem à fibra do tecido e podem desenvolver vaginites químicas.

• Utilize sabonete neutro para a higiene íntima, ou produtos apropriados para a limpeza dessa região. Não use sabonetes comuns ou aqueles que possuem creme hidratante ou corante.

• Evite também desodorantes íntimos, talcos e perfumes.

• Seque sua roupa íntima em locais secos e arejados, de preferência com exposição ao sol. Antes de usar as calcinhas, passe-as com o ferro.

• Evite duchas vaginais, que podem remover a proteção natural da vagina e favorecer o crescimento de fungos e bactérias.

• Não fique muito tempo com biquínis molhados.

• Para a depilação da região vaginal, utilize cera descartável e observe bem as condições de higiene do local em que você irá fazer a depilação.

• Troque o absorvente, durante a menstruação, quantas vezes forem necessárias ao dia, de acordo com o fluxo, mas faça a troca ao menos três vezes no dia.

• Não utilize absorventes diários, pois eles impedem a transpiração da região genital e favorecem o crescimento de fungos e bactérias.

• Evite papéis higiênicos coloridos ou perfumados, que podem agredir a mucosa genital.

• Durante a relação sexual, para manter uma boa lubrificação, utilize um lubrificante íntimo.

Por Franciele Bueno / Edição: Dona Giraffa

Publicidade

19 comentários

  • Bia disse:

    Bom dia meninas! Eu estava muito preocupada com esse liquido porque nunca vi sabe, mas, com essas dicas agora sei que é normal. Meu medo é que pensei que já estava grávida kkkkk!! Tenho um bebe de 1 ano e 9 messes kkkkk Então, ainda não está no tempo né de ter outro. Muito obg Dona Giraffa, que Deus te abençoe ricamente!!!

    Responder

Deixe seu comentário