Violência contra a mulher

Mulher

A cada 15 segundos, uma mulher é espancada por um homem no Brasil. E isso não tem a menor graça. O machismo e o alcoolismo são apontados como principais fatores que contribuem para a violência. Se no Brasil já existem leis (vide Lei Maria da Penha) que punem os agressores, por que essa barbárie ainda acontece?

Na raiz de tudo está a maneira como a sociedade dá mais valor ao papel masculino, o que por sua vez reflete na forma de educar meninos e meninas. Enquanto eles são incentivados a valorizar a agressividade, a força física, a dominação e a satisfazer seus instintos (inclusive os sexuais), elas são valorizadas pela beleza, delicadeza, submissão,dependência e passividade.

Infelizmente, 80% das agressões acontecem dentro de casa, e normalmente os parceiros (maridos e namorados) são os responsáveis por isso. Além de fatores externos como ciúmes, drogas e álcool, a violência doméstica não escolhe classe social nem cor. Pode acontecer com qualquer uma de nós. A contradição existe: 91% dos homens dizem que “bater em mulher é errado em qualquer situação”. E por que esse número não é 100%?

O triste é que a maioria das mulheres sofre calada. O que acontece na maioria das vezes, é que essas vítimas são, de algum jeito, dependentes dos agressores. Depender financeiramente é um dos maiores fatores que impedem as mulheres de denunciarem.  Outras ainda acham que “foi só dessa vez” ou que, no fundo, são elas as culpadas pelas agressões; outras não falam nada por causa dos filhos, por terem medo de apanharem ainda mais. E uma parte ainda acha que “ruim com ele, pior sem ele”.

A baixa auto-estima que essas mulheres apresentam só complica a situação. Cria-se uma dependência tão doentia que parece ser impossível desvencilharem-se dos agressores, pois elas têm medo de ficarem sozinhas ou não conseguirem dinheiro para criarem os filhos,etc.

Então, o que fazer?

Se você é vítima ou conhece alguém que seja, é importante saber que dá pra ir em qualquer delegacia registrar a agressão. O mais ideal seria que a mulher procurasse as delegacias especializadas, conhecidas como Delegacias da Mulher. É importante contar todos os detalhes e levar testemunhas.  Dependendo do tipo do crime, a mulher poderá precisar de um advogado e levar o caso à justiça.

O feminismo nunca matou ninguém, mas o machismo mata todos os dias. Divulgue, informe-se, revolte-se!

Por Camila Mazi
Redação Dona Giraffa

Publicidade

4 comentários

  • edna disse:

    mulher se ama nao se bate!!!! Homem que e homem nao bat em mulher

    Responder
  • é isso ai vamos ajudar a combater a violencia disse:

    violencia ñ

    Responder
  • Nilson Cardoso de Miranda disse:

    Penso que a sociedade, como um todo, deve estimular a mulher e oferecer condições para exterminar todo ato de violência, seja de natureza física ou psicológica. As mulheres advogadas poderãom se unir para defendê-las.

    Responder
  • padre disse:

    depender financeiramente?
    isto é um estado mental, a qual a mulher que sofre depende pscologicamente do agressor e não financeiramente(depois falam que não ligão pra dinheiro).assim como ocorre em casos de sequestro isso pode acontecer em casa.

    ps: sou contra qualquer tipo de agressão fisica ou mental

    Responder

Deixe seu comentário