Um abismo entre nós

Relacionamento

É verdade que quando amamos, não vemos defeitos nem diferenças. Mas até que ponto essa “cegueira amorosa” é uma coisa boa?

Quando a fase inicial da paixão acaba – aquela em que tudo é motivo para sorrirmos e parece que o mundo é perfeito – passamos a enxergar essas diferenças e muitas vezes a nos incomodar com elas. Mas agora já estamos apaixonados, muitas vezes até amando, o que fazer então?

Um dos maiores abismos que existe hoje em dia entre um casal é o cultural. É algo delicado, que muitas vezes, se não levado de uma forma saudável, pode resultar em corações partidos. Enquanto um tem uma boa formação acadêmica, gosta de viajar e ler bons livros o outro terminou o segundo grau, gosta de shows e bater papo com os amigos. Ter bom senso e tentar manter um equilíbrio entre o casal é algo essencial para se manter a harmonia – e a relação.

Será que títulos são tão importantes na hora de se amar? Enquanto um mora num bairro do subúrbio da cidade, pegando ônibus para chegar em qualquer lugar o outro estaciona seu carro na garagem do prédio onde mora, num bairro de classe média alta no centro da cidade. Será dinheiro é algo importante para amar alguém?

Enquanto um vai a igreja, religiosamente todos os domingos, o outro não tem religião, ou tem uma oposta. Será que para amar termos que ter as mesmas crenças?

O fato é que, se você quer evitar esse tipo de coisa, é melhor pensar bem antes de se envolver com uma pessoa. Entendo que nada mais chato do que gostar de ouvir Iron Maden e ser obrigado a encara Ivete Sangalo. Então, antes que a coisa toda evolua, pare e pense: “Até que ponto essas diferenças são suportáveis para mim? Eu vou conseguir lidar com isso?

Isso não prejudicará a nossa convivência?”. Após responder a essas perguntas, pense também que ninguém é igual a ninguém. E são exatamente as nossas diferenças que nos fazer seres únicos e especiais.

Se você decidir amar uma pessoa completamente oposta a você – e digo decidir, por que pra mim, amor é uma questão de escolha – tenha em mente que o respeito é algo muito necessário para ser feliz com quem quer que seja. Amar alguém diferente de você é permitir-se ser quem você é, respeitando o limite do outro. Afinal, os seus direitos começam, onde os do outro termina.

Por Marjorie Correia
Redação Dona Giraffa

Confira também

# Quando uma relação chega ao fim
# Sites de relacionamentos: funcionam?
# Como lidar com um namorado ciumento?
# Coisas que todas as mulheres deveriam saber
# Seis tipos de mulheres que os homens detestam
# Já não fazem mais namorados como antigamente

Publicidade

1 comentário

Deixe seu comentário