Você sonha com um emprego público?

Mercado de Trabalho

Você sonha com um emprego público

Tem muita gente que diz que sonha com um emprego público. Mas por quê? As respostas em geral se baseiam em três pontos de convergência:

• Estabilidade
• Salário
• Benefícios

Essa listagem de vantagens mostra que o emprego público não é necessariamente um sonho de forma propriamente dita. O que as pessoas muitas vezes querem está relacionado ao padrão de vida que um emprego público pode dar. E a sua realização profissional, você encontrará nesse emprego?

A tal da estabilidade também é uma vantagem relativa. Se você é jovem ainda, você quer viver 20 a 40 anos desta “estabilidade”? Na prática, essa estabilidade vira uma prisão. Depois de anos e anos em um emprego público, em geral você só consegue uma nova colocação no mercado através de outro emprego público: ou seja, estudando e esperando por mais alguns anos ser chamado nos próximos concursos que passar.

Por outro lado, as pessoas que realmente procuram sua realização profissional no emprego público muitas vezes aspiram a altos cargos como o de juiz, o de procurador geral ou de diplomata. Correto. Todos têm o direito de sonhar e persistir no sonho. Mas lembre que para ter um emprego público é preciso passar em um concurso.

Acontece que muita gente passa cinco, oito, dez anos… estudando para esse tipo de concurso para cargos de alto nível. E aí? Se a pessoa ficou esse tempo todo só estudando, ela estará num beco sem saída. Depois de tantos anos sem participar do mercado de trabalho, a única saída é passar mesmo em um emprego público, que não exige experiência, mas só exige conhecimento.

Então essas pessoas que ficaram muitos anos estudando para um concurso de alto nível acabam, depois desse tempo, diminuindo o nível de exigência e se “contentando” com um concurso menos concorrido. O ideal, então, para você que pretende perseguir um alto cargo como esse é fazer justamente o contrário: tente uma primeira vez o concurso que você quer para sentir o nível de dificuldade. Mas depois, entre o intervalo dos concursos do tipo que você quer, tente outros menos concorridos. Experimente a vivência no emprego público antes de alcançar o cargo que você realmente quer.

Essa estratégia é parecida com quem sonha em ser um diretor de uma grande empresa: primeiramente é preciso começar na grande empresa. Talvez leve anos para ser um diretor. Ou talvez nunca se consiga. O que é mais importante? O importante é gostar do que se faz. Assim, veja se o seu sonho é realmente algo que lhe fará feliz.

Ou se você apenas está procurando comodidade financeira… Tem muita gente que se sente deprimida e fica doente ao não se adequar ao tão sonhado emprego público. Então não desperdice anos e anos sem ter experiência e saber se é realmente isso que você quer. Às vezes, por uma questão de perfil pessoal, você não se adaptará à forma burocrática de se realizar o serviço público.

Mas, se você realmente tiver afinidade com o cargo público desejado, não tenha pressa. Muitas vezes, depois de finalmente passar no concurso, mesmo que bem colocado, demora-se até quatro anos para a convocação ao cargo. O que você vai fazer da vida enquanto isso? Uma dica definitiva: trabalhe. Na esfera pública ou privada: trabalhe! Isso vai ajudar você a definir seus gostos e suas preferências.

É ilusão pensar que quem só estuda para isso terá um melhor aproveitamento. Ninguém consegue estudar o dia inteiro para a mesma coisa durante anos e anos: quem tenta fazer isso acaba se dispersando em outras atividades. Por outro lado, quem trabalha e sabe o que quer utiliza o tempo que sobra como um tempo de estudo valioso e produtivo.

Por Érica Marina
Redação Dona Giraffa

Confira também

# Entrando no mercado de trabalho
# Preparação pessoal para um entrevista

Publicidade

12 comentários

  • Jaqueline disse:

    Ainda quero estudar para concurso público como digitadora, ou, no próprio Banco do Brasil. Gostaria de saber se vale a pena estudar para esses tipos de concursos?

    Responder
    • Érica Marina disse:

      Jaqueline, qualquer coisa vale a pena se for interessante/importante para você! Procure se informar quanto ao salário e ao tipo de atividade. Se for interessante para você, estude para isso!

      Responder
  • Carlos Reis disse:

    Excelente esse seu post! Eu queria te agradecer mesmo por compartilhar!
    Realmente me abriu a cabeça. Muito obrigado!

    Responder
    • Érica Marina disse:

      Esse texto é fruto da minha experiência pessoal, Carlos. Fui concursada por duas vezes e por outras trabalhei em empresa privada. Acabei optando por uma ótima oportunidade em uma multinacional, que tem mais a ver com meus sonhos e com os meu perfil em relação ao que eu vim a encontrar no emprego público. Mas isso serve para MIM, apenas. Cada pessoa tem o seu perfil e é importante avaliar isto quando se está em busca de realização profissional.

      Responder
      • Pedro Lemos disse:

        Pois é, Érica, isso é muito pessoal, e cada caso é um caso. Eu por exemplo, tenho 27 anos e estou na área pública desde os 19, quando passei em um concurso. Trabalho na área jurídica e vou me formar agora em Direito, somente para poder fazer concursos melhores futuramente. Nunca gostei muito de Direito, mas tenho um emprego estável, que me paga relativamente bem, considerando o mercado atual, e que vai me possibilitar estudar o que eu gosto, que é Arquitetura ou Design de Jogos, depois que eu tiver me formado.
        Meu irmão, por outro lado, quer distância da área pública, enaltece a iniciativa privada e quer trabalhar somente com o que ele gosta e abrir sua própria empresa. Resultado: ele é um ano e meio mais velho que eu, mas eu ganho cinco vezes o que ele ganha como empregado de uma empresa particular. Eu consegui comprar um apartamento no meu nome, e ele não consegue nem comprar um carro sem comprometer toda a renda. Quem você acha que está mais perto de realizar o sonho profissional, eu ou ele?
        Claro que todo mundo quer fazer o que gosta e ganhar dinheiro com isso, mas essa realidade é a minoria para a maior parte dos brasileiros. Uns 2, 3 % deles devem fazer o que gostam e ganhar bem pra isso, o resto trabalha com o que não gosta e ganha bem, ou faz o que gosta e luta pra sobreviver.
        Por minha vez, eu prefiro a estabilidade de poder contar com um bom salário todo mês na minha conta, que vai me possibilitar realizar outros sonhos futuramente e não me estressar com o cumprimento de metas ou chefes enchendo o saco, afinal, eu já trabalhei na área privada também e sei como é.

        E quem consegue ficar 10 anos seguidos estudando pra um concurso sem trabalhar? Um nababo, filho de um sultão, talvez…

        Responder
        • Érica Marina disse:

          Eu me abstive de considerações pessoais ao escrever o texto, mas posso colocá-las nos comentários. O objetivo do texto em si é compartilhar a experiência de quem já passou em concursos e já foi concursada, ressaltando algo além do que é discutido e comentado usualmente sobre o emprego público. A ideia é acrescentar. Todo mundo já sabe que o emprego público é uma fonte de estabilidade e, em geral, de boa remuneração. Mas quem quiser seguir os seus passos, Pedro, deve ter a ciência que você tem sobre o seu objetivo na vida para não se frustrar nem tentar se iludir. Minha recomendação gira em torno disso. Como você mesmo declara, seu emprego apenas é um MEIO para sua realização profissional e pessoal.

          Responder
        • Syc disse:

          Pedro Lemos, vc foi feliz nos seus comentários. Esse negócio de querer trabalhar numa área que goste é realmente o sonho de maioria, mas se ganha pouco que adianta? Ninguém é feliz sabendo que amanhã pode ser demitido!

          Responder
  • Anderson disse:

    É, muitos querem emprego, e não trabalho. O fato é que como muitos querem, a dificuldade é muito grande. E é difícil mesmo, as pessoas não falam que é brincando não..

    Responder
  • Era uma vez disse:

    Essa é a mentalidade brasileira: Tem um emprego, quando na verdade deveria se preocupar em ter uma profissão.

    Responder
  • DSaM disse:

    Realização profissional pra mim é balela…

    Na minha familia todos são concursados… quem quis ir contra a corrente e procurou sua “realização profissional” e só conseguiu passar anos de stress, medo e frustração na iniciativa privada, até resolver estudar para um concurso. Dai sim a vida melhorou, gozou de qualidade de vida.

    Me diz se eu por ter passado em um concurso com 22 anos e ganhar um salário próximo aos 10 mil, com fim de semanas livres e horários flexíveis é um mal negocio pra eu poder me desenvolver em outras realizações mais importantes na vida? Nesse mercado injusto… principalmente os jovens formados, que podem estudar e não faz isso, está tendo um julgamento muito pobre da vida futura. Você logo de inicio, evita todo um gargalo de vida mazelento de ser um estagiário mal pago, depois a mendicância para conseguir um emprego e depois ser um profissional mal pago, puxação de tapete da vida corporativa (não que não exista no serviço público, porem menos) estresses como abusos e dispensas devido a crises.

    Porem passar em um concurso hoje é uma tarefa extremamente difícil e frustraste no inicio, mas não impossível…. portanto se você tem fibra e oportunidade pra isso… faça concurso e estude até passar!

    Responder
  • Victor disse:

    Conheço muitas pessoas que fazem faculdade e querem trabalhar num emprego público. Sinceramente, não gosto da ideia de trabalhar em qualquer coisa, inclusive em cargos públicos, simplesmente por causa do fator fincanceiro, a não ser que a pessoa tenha uma família para sustentar.

    Como dito no post, a pessoa tem que fazer o que realmente gosta e trabalhar para realizar isso. A pessoa pode estar num mercado um pouco difícil, mas existem muitas empresas de pequeno porte que precisam de certos profissionais. Pra alguém que já é formado, desistir de trabalhar no ramo e tentar partir para um cargo público é perda total de tempo e dinheiro que a pessoa teve com a faculdade.

    Responder
  • john disse:

    os concursos são uma ótima opção porque aceitam pessoas sem experiencia e tem bons salarios e estabilidade.
    enquanto que na iniciativa privada eles exigem que a pessoa seja jovem, formada, com experiencia, boa aparencia, etc.

    Responder

Deixe seu comentário