Sua mãe não quer falar sobre sexo?

Dicas

Conversando sobre sexo com mãe

Os genitores do sexo masculino, em geral, não podem nem sonhar em ver a “filhinha” pensar em sexo. Então é natural que, na maioria das vezes, a menina se abra com sua mãe, com quem já compartilha segredos e já tem uma intimidade que não seria possível com o pai. Mas ainda é muito comum a mãe não querer tocar em determinados assuntos, pois o sexo ainda é tabu para um grande número de pessoas. Além disso, parece que quando se trata de “filhos”, tudo na vida é mais delicado.

Algumas mães têm um bloqueio a respeito do tema, que pode ser fruto de sua própria educação, de sua própria experiência ou mesmo de sua personalidade – porque certas pessoas não se sentem à vontade para falar sobre sexo. Por outro lado, tem muitas mães que orientam as filhas (evasivamente) até o momento em que a menina demonstra interesse sexual. Nesse ponto, tudo muda! Se antes a mãe aconselhava a filha a procurar um ginecologista, usar camisinha, tomar anticoncepcional etc., no momento que ela pensar em iniciar a vida sexual, esses são assuntos intocáveis! Isso é absolutamente corriqueiro.

Mas isso também é um grande erro. Existem milhares de histórias de meninas que engravidaram precocemente ou adquiriram uma DST e atribuem isso à falta de apoio ou orientação da mãe. Em determinado lar, a mãe achou que era cedo demais para conversar com a menina de 15 anos… em outro, a mãe não apoiou o uso de anticoncepcional porque a filha não deveria estar pensando em sexo tão cedo… Se a mãe não participa e a decisão da filha é irrevogável, é preciso que a filha busque por si a maneira correta de iniciar a vida sexual.

Jovens mulheres, está em suas mãos a prevenção da gravidez indesejada e das doenças sexualmente transmissíveis! Se sua mãe não puder lhe auxiliar com isso, não se comprometa em virtude de uma limitação dela. Preserve seu futuro e sua vida.

Aqui estão algumas dicas:

– Respeite sua mãe e as limitações que ela tiver para lhe compreender. Mas, acima de tudo, respeite sua própria saúde.

Busque informação no lugar certo: postos de saúde e sites de apoio e orientação. A sua colega de escola pode não ser tão responsável quanto você precisaria que fosse.

Respeite você mesma: decida por si só. A melhor forma de ter certeza de que é isso mesmo que você quer, é imaginar se valeria a pena, mesmo que o relacionamento não durasse. Não ponha a pressão do que os outros pensam na sua decisão, nem para antecipar nem para postergar.

Vá ao ginecologista. Se sua mãe não lhe acompanhar, busque-o por conta própria, peça a outra pessoa de confiança. No início da vida sexual, como também ao longo do restante dela, é importante um acompanhamento neste sentido.

Outra preocupação das meninas que ainda são virgens é a respeito da revelação, ao parceiro, desse “pequeno detalhe”. Não é preciso se preocupar com isso: a sua reação às investidas dele vai demonstrar que você não é iniciada. No momento em que você sentir que precisa, você dirá isso. Para ele, essa “confissão” será apenas uma confirmação da suspeita.

É sempre indicado o uso de dois ou mais métodos de prevenção, porque nenhum deles é 100% seguro. A camisinha pode falhar. O anticoncepcional pode não ser absorvido pelo corpo em determinadas circunstâncias. A maioria das pessoas bem orientadas opta pelo uso dos dois. Existem ainda várias outras formas de contracepção, mas procure não confiar em uma só.

Cabe a você mulher a palavra final no tocante à prevenção. Você determina que irá tomar contraceptivo e que não aceita sexo sem preservativo.

Uma das preocupações comuns é como abordar a questão do preservativo. Quando o clima esquentar ao nível da excitação do parceiro e você quiser ir adiante, pergunte se a pessoa tem camisinha ali no momento. Se não, ressalte que é preciso buscar.

Converse a respeito de sexo. Encontre alguém confiável para desenvolver essa conversa: é importante e faz bem. Falar sobre o assunto pode ser constrangedor a princípio, mas depois é uma delícia.

Por Érica Marina
Redação Dona Giraffa

Confira também

# É possível engravidar na primeira relação?
# O corpo muda depois da primeira relação sexual?
# Menstruação atrasada, o que pode ser?
# [Guia Adolescente] – Posso estar grávida?
# [Guia Adolescente] – Gravidez na adolescência

Publicidade

Deixe seu comentário