A nova mulher: moldando um novo homem e um novo mundo

Comportamento

A sociedade ao longo dos tempos desconfigurou o ser humano. Certas coisas deveriam ser de mulher, e outras deveriam ser de homem. E cada um dos gêneros ficou apenas com a metade do que é possível uma pessoa ser. Mas o mundo de hoje é um novo mundo se despindo da roupagem antiga. A hipocrisia social e o formalismo exagerado não combinam mais com o nosso ritmo de vida e desenvolvimento intelectual. O que é preciso, agora, é lembrarmos-nos de ser amáveis e agradáveis, tratando o ser humano como ser humano, diferenciando-o apenas onde houver diferença capaz de dignificar-lhe.

As mulheres, que foram a parte mais reprimida, têm lutado para reconquistar o seu espaço. Mas os homens também têm se redescoberto, muitas vezes por ver que o papel antigo não lhe cabe mais. As pessoas não precisam mais se atribuir apenas a parte que lhe cabia antes. Que a mulher saiba se autossustentar, não se limitando a ser a parte frágil. E que o homem possa se cuidar e ter a percepção e o sentimentalismo diante da vida – que não precisam ser arrancados de si à força como se faz a uma erva daninha.

Ainda assim, tentando se postar de maneira indiferente aos tabus e convenções, os dois gêneros se perdem, às vezes. Em um mundo onde a mulher compete pela igualdade, não há porque ela exigir um tratamento diferenciado. Isso seria um contrassenso. Assim, em virtude da equiparação entre os sexos, o cavalheirismo deve ceder lugar à gentileza.

Isso ainda gera dúvida: qual seria, por exemplo, a diferença entre o antigo cavalheirismo e o comportamento gentil que o homem deve ter para com a mulher? Na prática individual de cada atitude, nenhuma diferença! Ela estará é no modo de pensar o todo. A gentileza do homem será retribuída pela mulher. A conta que ele paga hoje, ela pode pagar outro dia. A cadeira que ele lhe oferece, ela agradecerá e retribuirá com um cafuné. E assim por diante.

Por fim, na relação a dois, a nova mulher deve cuidar para não se curvar à velha submissão, sem, contudo, cair na falta de respeito. Antes de encontrar o amor da sua vida, a mulher se arruma para o mundo e se comporta com naturalidade… e deve continuar fazendo o mesmo. O seu bom gosto, seu charme, sua sensualidade devem ser sempre seus pontos fortes – para o resto da vida! É lógico que é preciso saber modificar sua postura quando deixa de ser solteira e passa a ser compromissada. Entretanto, nada justifica alterar o tom de voz, o jeito de andar, o jeito de se arrumar ou literalmente abaixar a cabeça. As mulheres foram feitas para naturalmente enfeitar o mundo. Que elas se cuidem e não deixem ninguém, nem o seu amado, apagar seu brilho.

Por Érica Marina

Redação Dona Giraffa

Confira também

# Sites de relacionamentos: funcionam?
# A diferença entre conquistar e seduzir
# Para você que namora um sem noção!
# Acho que eu estou sendo traída, como saber?
# Homem romântico é uma espécie em extinção?
# O pesadelo da noite – Crônica de um coração destruído

Publicidade

Deixe seu comentário