Odor forte na região íntima: cinco possíveis doenças

Perceber um problema ou sintoma nas regiões íntimas do corpo deixa qualquer mulher de cabelo em pé. Isso porque geralmente eles vêm acompanhados de um odor forte nessa parte do corpo e causam muito desconforto.

De maneira geral, qualquer odor forte na região íntima pode ser um indicativo de doenças, por isso, é importante estar atenta ao cheiro do órgão genital.

Cheiro forte órgão genital

Foto: © Can Stock Photo

No entanto, antes de se preocupar sem necessidade, vale dizer que a vagina tem um cheiro característico, que é normal, uma vez que dela saem secreções, gordura e suor, os quais têm odores.

Mas quando o cheiro da vagina se torna forte, mesmo depois de tomar banho e chega a ser sentido por você mesmo sem aproximar o nariz da região, então pode haver algum problema. Nesse caso, o odor é parecido com o de peixe e você poderá sentir um grande desconforto.

Veja quais são as possíveis doenças que esse sintoma pode indicar e saiba como se prevenir e se tratar quando acontecer.

Cinco possíveis doenças da região íntima da mulher:

1. Infecção por bactéria – Vaginose bacteriana

As infecções causadas por bactérias são as doenças mais comuns em mulheres que percebem que o cheiro da sua vagina está forte e chega a incomodar.

Embora a flora vaginal seja habitada por uma grande quantidade de bactérias, quando elas se proliferam de modo inadequado significa que algo está errado.

Isso pode acontecer por uma série de razões, como:

• Calcinhas apertadas ou de tecido sintético;

• Desodorante íntimo;

• Alimentação inadequada;

• Duchas internas e mesmo o uso de alguns antibióticos, que podem provocar uma mudança de pH no ambiente da vagina;

Flora vaginal

Foto: © Can Stock Photo

Assim, quando a flora vaginal sofre uma alteração pode se desenvolver a vaginose bacteriana, em que a bactéria Gardnerella vaginalis se prolifera. Essa é uma das infecções mais comuns, sendo que nem sempre a mulher apresenta sintomas. Mas quando eles ocorrem, além do cheiro forte, é possível que haja corrimento acinzentado e de aspecto leitoso.

Outro sinal do problema é dor durante o ato sexual. O tratamento receitado pelo médico depende da causa exata que desencadeou a vaginose bacteriana. Em alguns casos, consumir alimentos com probióticos, como iogurtes e leites, é o suficiente. Mas podem ser prescritos ainda antibióticos orais ou vaginais.

2. Infecção por fungo – Candidíase vaginal

É outra doença do grupo das vaginites que também é muito comum e que pode desencadear o odor forte na vagina. No entanto, nesse caso, o sintoma mais comum é a coceira no órgão genital, sendo que se for intensa é possível que cause até mesmo fissuras e dor na pele da vagina e da mucosa vulvovaginal.

Outros sintomas são:

• Vermelhidão na região da vulva;

• Dor ao urinar e ao fazer sexo;

• Corrimento grosso e leitoso;

A candidíase é provocada pelo fungo Candida albicans, também encontrado normalmente no organismo, sendo que esse pode se proliferar quando a pessoa faz tratamento com antibióticos, que matam as bactérias e propiciam a proliferação dos fungos. (Candidíase | O que é a doença e como tratá-la)

No entanto, essa infecção pode ser iniciada por outras razões que alterem o pH vaginal, como a gravidez, que promove alterações hormonais, e mesmo pelo uso de pílulas anticoncepcionais. Pessoas com diabetes e AIDS também estão mais propensas a desenvolver a doença.

3. Infecção por vírus – Tricomoníase vaginal

Essa DST – Doença Sexualmente Transmissível é outra razão para o surgimento de odor forte na vagina. Além desse sintoma, essa doença que é transmitida pelas relações sexuais desprotegidas, provoca inchaço, dor para urinar e ao ter relações sexuais e ardor no órgão genital.

Possíveis doenças na vagina

Foto: © Can Stock Photo

É possível diferenciar esse problema de outros porque na tricomoníase o corrimento é abundante, com aspecto espumoso, de cor amarelo-esverdeado e pode apresentar sangue. Nessa doença, é a população do parasita protozoário T. vaginalis que cresce de forma excessiva, sendo que ele normalmente habita o trato geniturinário de homens e mulheres.

O tratamento consiste no uso de antibióticos ou antiparasitários, os quais devem ser exclusivamente prescritos por médico.

4. DST – Cancro mole

Essa infecção por bactéria é outra doenças sexualmente transmissível que também pode provocar odor forte na vagina. No entanto, o sintoma mais característico desse problema são as feridas que aparecem na região genital, como na vulva das mulheres e mesmo no ânus. Elas costumam ser múltiplas e doerem, sendo pequenas e com pus.

Nesse quadro, a doença é causada pela bactéria Haemophilus ducreyi e os sintomas incluem ainda nódulos que podem aparecer na virilha, os quais se assemelham a ínguas e caroços. O tratamento também é feito com antibióticos, mas apenas um especialista deve receitá-los.

5. Câncer de colo do útero

Embora não seja um sintoma muito característico da doença, existem alguns tipos de câncer de colo de útero que quando estão em fase avançada podem provocar o cheiro forte na vagina.

Por isso, é importante estar atento aos demais sintomas desse problema, entre eles:

• Dor na região pélvica e durante as relações sexuais;

• Menstruação irregular;

• Corrimento vaginal anormal;

• Cansaço;

• Náusea;

• Perda de peso e sangramentos que não sejam da menstruação;

Como evitar cheiro forte vaginal

Evitar a proliferação de bactérias presentes na flora vaginal é uma forma de prevenir o mau cheiro forte na vagina e mesmo o desencadeamento de infecções.

Mulher com a mão nas partes íntimas

Foto: © Can Stock Photo

• A higiene íntima nesse sentido é o mais importante, mas o excesso de higiene também é prejudicial, como usar sabonetes bactericidas para lavar o órgão genital, ducha vaginal e absorvente diário.

• Essas medidas, diferente do que muitas pessoas podem achar, não são saudáveis. Enquanto os sabonetes bactericidas e a ducha podem alterar a flora vaginal, o absorvente diário abafa a região. Lavar bem a vagina e a região anal, todas as suas dobras, com sabonete preferencialmente neutro e água é o suficiente.

• Também se recomenda o uso de calcinhas de algodão, que não retém o suor e que seja confortável.

• O mesmo serve para as calças. Além disso, quando o cheiro forte surge é comum que outros sintomas apareçam como coceira, irritação, manchas, inchaço ou dor. São essas combinações que ajudarão você a identificar o problema, mas de qualquer forma é indicado ter acompanhamento do seu ginecologista.

Por Vivian Fiorio / Edição: Dona Giraffa

• Sinais que o útero dá quando algo não vai bem

Loading...
2 Comentários em Odor forte na região íntima: cinco possíveis doenças
  • cristiane torres disse:

    Amei as dicas sobre odor na região íntima, ficou bem esclarecidas em relação as dúvidas que eu tinha.

  • Eser disse:

    Tenho duas perguntas. A primeira, o anticoncepcional pode influenciar no odor da vagina? Posso tomar injeção direto sem pausa? Pesquisei neste site http://cyclofemina.com.br/ mas não encontrei nada sobre isso. Podem me ajudar? Aguardo!

  • Deixe seu comentário

    Publicidade
    Curta nossa fan page no Facebook
    Publicidade
    Publicidade

    Não espere o futuro mudar tua vida, porque o futuro é a consequência do presente... Racionais Mc's