Camisinha pode provocar alergia? Entenda:

Essencial para as relações sexuais seguras, a camisinha sempre foi o centro de propagandas e campanhas que visam conscientizar homens e mulheres sobre a prevenção de doenças e gravidez indesejável. Embora seja um item indispensável para qualquer adulto, a camisinha também pode trazer problemas em alguns casos.

Camisinha

Foto: © Depositphotos

A maioria das marcas utiliza o látex na produção dos preservativos. A substância é extraída da selva da árvore seringueira e utilizada na fabricação de borrachas, que são úteis para a confecção de diversos produtos.

Tudo seria perfeito se não fosse pelo fato de que, segundo estudos, mais de 1% da população mundial tem alergia ao látex. Apesar de parecer pouco, o número é grande se considerarmos que a quantidade de pessoas no mundo já ultrapassou a faixa dos sete bilhões.

A alergia ao látex se manifesta de formas variadas e apenas um especialista no assunto poderá dizer se este é realmente o problema. No caso da camisinha, a substância pode provocar irritação no canal vaginal, com sintomas como vermelhidão, coceiras e até feridas.

Além do látex, outras substâncias presentes na camisinha, como aromatizantes, pigmentos que dão cor e lubrificantes, também podem provocar irritações. Em muitos casos, não é exatamente o látex que gera o problema e é preciso fazer alguns testes com outras marcas para descobrir qual é a origem da irritação na pele.

Alergia ou doença?

Os sintomas de doenças sexualmente transmissíveis (DST) também podem ser confundidos com irritações por alergia. Se você utiliza camisinha em absolutamente todas as relações, pode ficar mais tranquila. No entanto, no caso de mulheres que optam por não usar a proteção eventualmente, é preciso descobrir se o problema é alergia ou não.

Alergia a camisinha

Foto: © Depositphotos

A principal diferença é que a irritação provocada por alergia costuma aparecer rapidamente, enquanto que os sintomas de uma doença sexual podem se manifestar após alguns dias. Entretanto, há casos em que a irritação não é causada nem por alergia e nem por doença, mas por problemas de fricção na pele durante a relação sexual.

Para não cometer nenhum equívoco, o ideal é procurar um ginecologista assim que perceber algo de anormal na região genital. Se as possibilidades de doenças forem descartadas, procure um profissional especializado em alergias para verificar se você tem problemas com o látex ou com outra substância presente na camisinha.

Soluções

Ter alergia a alguma substância na camisinha não significa que você nunca mais poderá utilizar um preservativo na vida. A primeira coisa a fazer após identificar a irritação por alergia é tentar trocar a marca da camisinha e optar por produtos de fabricação mais neutra.

Preservativo de latex

Foto: © Depositphotos

Em muitos casos, o problema é resolvido ao utilizar camisinhas que não possuem pigmentos, aromas ou qualquer outra substância desnecessária. Experimente outras opções e veja com o seu parceiro quais são as marcas que não provocam nenhum sintoma indesejado após a relação.

No caso do problema ser o látex, é possível adquirir preservativos feitos de outros materiais, como o poliuretano. A camisinha feminina também é feita deste material e poderá ser uma boa opção para continuar utilizando preservativos.

O único problema é que a maioria dos locais vendem camisinhas feitas de látex, o que diminui as opções de compras. Além disso, os produtos de poliuretano costumam ser um pouco mais caros. No entanto, as camisinhas são acessíveis e você poderá verificar facilmente onde este produto está sendo comercializado.

Cuidados

Se você tem alergia ao látex, a camisinha não é o único cuidado que deverá ser tomado. A borracha está presente na fabricação de diversos produtos de uso diário, além de ser um dos principais materiais utilizados na confecção de brinquedos eróticos. Se você costuma frequentar sex shops, terá que tomar cuidado na hora de adquirir algo.

Banana com camisinha

Foto: © Depositphotos

• Se você é alérgica ao látex, evite ao máximo contato com produtos feitos de borracha. Materiais utilizados em procedimentos cirúrgicos, por exemplo, podem desencadear reações alérgicas.

• Sempre que precisar de um tratamento médico ou dentário, avise no consultório que você possui alergia ao látex para que assim seja possível evitar o uso de produtos de borracha.

• As alergias se manifestam de diferentes formas e podem resultar em quadros graves. Mesmo que pareça ser uma irritação sem importância, tome todos os cuidados para que a alergia não evolua para problemas de saúde mais graves.

• Pessoas alérgicas ao látex costumam também ter alergia a alguns alimentos, principalmente frutas como banana, abacaxi e mamão. Verifique também possíveis alterações na rotina alimentar.

• Não deixe de um consultar um alergista para receber o diagnóstico correto e ver que tipo de alimentos e produtos você deverá evitar. No caso de irritações na pele ou problemas respiratórios, procure o médico para verificar se os sintomas foram provocados por alguma reação alérgica ou não.

Dicas

• Não desista de usar preservativos mesmo que a alergia se confirme. A primeira alternativa a recorrer é o uso de outras marcas ou de produtos feitos de outras substâncias. Em quase todos os casos a solução aparece sem que o usuário tenha que abrir mão da proteção na hora do sexo.

Camisinha com sabor

Foto: © Depositphotos

• Não julgue os sintomas por si só. Se você não tem um histórico de alergias, consulte profissionais de saúde para tirar todas as dúvidas.

• Nem todas as irritações pós-sexo denunciam alergia a camisinha ou alguma substância no material de fabricação. Ás vezes o problema é causado por pouca lubrificação ou pelo atrito na pele.

• Se você encontrar poucos modelos e marcas de camisinha que não geram irritações não se preocupe que é bastante comum. O simples fato de ter algumas marcas de látex confortáveis para você já indica que a alergia não provém da borracha.

• Na dúvida, você poderá fazer um teste para descobrir se o látex é realmente o problema. Cole um pedaço de camisinha neutra no seu braço por pelo menos 24 horas e verifique se a pele sofrerá alguma irritação devido ao contato com o material.

• Você sempre poderá utilizar outros métodos contraceptivos como as pílulas anticoncepcionais. No entanto, lembre-se de que não há um substituto para a camisinha e que o produto é o único capaz de garantir proteção contra doenças sexuais.

Por Ana Paula Bretschneider / Edição: Dona Giraffa

Loading...
1 Comentário em Camisinha pode provocar alergia? Entenda:
  • Alana disse:

    Oii, bom eu queria saber se tem sintomas especiais para esse tipo de alergia, porque eu usei uma marca diferente (foi a primeira vez que usei uma com corante) na minha ultima relação, e um dia depois me começou a ter coceiras e corrimentos maus cheirosos. E após isso só permaneceu as coceiras, não sei se é por a menstruação ter vindo que parou o corrimento, mas por favor tire essa dúvida.

  • Deixe seu comentário

    Publicidade
    Curta nossa fan page no Facebook
    Publicidade
    Publicidade

    Tão bom morrer de amor e continuar vivendo. Mario Quintana