Quando o amor vira obsessão: identifique os sintomas da doença

A paixão, o amor verdadeiro e a obsessão são estágios diferentes que podem ser desenvolvidos na vida de quem tem os sentimentos mexidos por outra pessoa. A paixão é muito parecida com a obsessão, à diferença é que a primeira representa uma emoção comum do primeiro contato com alguém especial. A paixão pode se manifestar de diversas formas, como quando o coração palpita ao encontrar com ele e os pensamentos ficam focados no amado.

Quando essa euforia inicial passa, mas o sentimento de apego permanece, o amor começa a aparecer aos poucos. Não há mais o nervosismo na presença dele nem a mente dominada pelo sorriso do parceiro, mas a necessidade de estar perto de quem ama, proteger e dividir a vida juntos não desaparece.

será que é amor ou obsessão

Foto: (c) Can Stock Photo

Porém, se o amor vira obsessão, alguns sentimentos da fase da paixão voltam com tudo: o amado passa a dominar a cabeça e, a possibilidade de perdê-lo gera um pânico profundo e provoca atitudes irracionais. (Pessoas possessivas, amor verdadeiro ou amor doentio?)

Não querer perder quem se ama é uma convicção comum para muitos casais, porém, a maneira como as pessoas lidam com as crises nos relacionamentos pode dizer muito se o sentimento pelo parceiro é de amor ou de obsessão. A obsessão é considerada um transtorno compulsivo que, se não for controlado, pode ser perigoso para a saúde do paciente e das pessoas que participam da vida dele. Para quem se identificar como vítima dessa patologia, o ideal é fazer um tratamento com ajuda profissional e buscar o controle através da psicoterapia.

Confira quatro características dos obsessivos e reflita se você não está indo longe demais por ele:

Perfil controlador

A pessoa que apresenta comportamento obsessivo-compulsivo pode querer manter controle total da vida do parceiro. A paranoia se manifesta de um jeito incontrolável e tudo vira suspeita de mentiras e traições. Chegar mais tarde em casa ou sair para espairecer com os amigos começam a parecer fortes indícios de que há outro envolvimento amoroso no jogo.

Além das desconfianças com pouco embasamento real, a obsessão também se manifesta através de perseguições. As mulheres com essa doença passam a querer saber sobre cada passo dado pelo parceiro, onde foi e por que foi, mostrando uma necessidade de domínio sob a outra pessoa.

Essas características são perigosas e podem causar o fim do relacionamento, pois, por mais que o companheiro goste da namorada ou esposa, o estilo de vida torna-se pesado e, a convivência com a portadora da patologia pode ser infernal. (Saiba quais são os tipos de ciúmes | Descubra o seu!)

Não aceita a rejeição

Conviver e controlar o sentimento de rejeição é muito complicado para um portador do transtorno obsessivo-compulsivo. O pior medo da vida do doente é justamente perder a pessoa na qual ele julga amar, por isso, se a ameaça de ficar sozinho for concretizada, qualquer loucura pode aparecer para tentar evitar o prejuízo.

amor controlador

Foto: (c) Can Stock Photo

Nesses casos, é comum que o paciente faça ameaças de suicídio e outras loucuras que poderiam afetar ele mesmo ou o companheiro. Quem se relaciona com uma pessoa obsessiva precisa tomar muito cuidado com as atitudes, pois no auge da falta de controle, qualquer ameaça que pareça improvável pode tornar-se real.

O parceiro é o centro de tudo

Assim como os apaixonados que passam o dia admirando as qualidades da pessoa que gosta, os obcecados também possuem essa mania, mas de uma forma não saudável. Os outros campos da vida do portador passam a ser deixados de lado, pois a coisa mais importante é manter o companheiro próximo e dominado. (12 coisas que os homens odeiam nas mulheres)

Um portador dessa patologia pode negligenciar a profissão, a própria saúde, a família e amigos de um jeito que passa a se isolar e sofrer as consequências do desequilíbrio pessoal. A doença se manifesta apenas em alguns momentos da vida do portador, porém, se houver desconfianças e motivos para preocupações, o que seria apenas um sentimento de dúvida em uma pessoa normal, transforma-se em um motivo para brigas desenfreadas e comportamento compulsivo.

A tendência é que, se não houver tratamento, a pessoa entre em decadência emocional e passe a ter cada vez mais dificuldades de relacionar-se com alguém e de conviver em sociedade.

Ameaça de depressão

Uma tendência comum para as vítimas do transtorno é cair em depressão por poucas razões. Uma briga sem motivos ou um sentimento negativo gerado por uma desconfiança ou pela imaginação destrutiva podem ser suficientes para o desenvolvimento da depressão.

O sentido da vida é desviado para a presença da pessoa na qual o pensamento obsessivo foi desenvolvido e, qualquer conflito com esse companheiro pode causar problemas graves para a mente do doente. Com o tempo, os momentos depressivos tendem a se tornar mais frequentes do que os períodos felizes, o que demonstra a necessidade de um tratamento para recuperar a qualidade de vida.

Por Ana Paula Bretschneider / Edição: Dona Giraffa

Loading...
5 Comentários em Quando o amor vira obsessão: identifique os sintomas da doença
  • Bia disse:

    Oi, eu tô, sinceramente, ficando apavorada comigo mesma, pq me conheço o suficiente pra saber q tenho tendencia a desenvolver comportamentos compulsivos por várias coisas, compras, consumo d alcool, isolamento, depressão e etc… Mas agora tô apaixonada por uma pessoa e tô sendo correspondida, só q tô muito ansiosa, querendo colocar o carro na frente dos bois, uma sensação absurda q nunca senti antes em nenhuum outro relacionamento. Sei q sou uma mulher q ama demais, tenho uma personalidade carente e controladora, mas isso tá me deixando tão mal, q até penso em terminar o relacionamento pra não sofrer e não fazer meu namorado sofrer futuramente, eu ando fora d mim, encano com qualquer coisa, tenho ideias fixas, um horror, não quero continuar assim. Só Deus pra me ajudar nessa hora, pq ta difícil, me sinto envergonhada por me sentir e agir dessa maneira. Até pq namoro tem q ser uma coisa leve e gostosa e não um monte d cobranças e lamentações, eu tô virando uma chata, boicotando minha própria felicidade e deixando o pobre coitado desconfortável, sem saber o q falar e como agir. Socorrooo! Desse jeito não há amor q resista… 🙁

    • Luma disse:

      Nossa, eu me sinto exatamente igual a você. Está indo tudo bem, só eu que acabo gerando polêmica por causa dos meus ataques de insegurança. Tô querendo sair antes que piore, sabe? É muita covardia, mas não quero machucá-lo com isso.

  • Ana Andrade disse:

    Quando o amor vira obsessão, isso acontece quando o encanto acaba e quando o outro não mais te ouve, principalmente tratando-se de um término e o outro não mais ouve parece que só ele existe na relação e que não vê motivo algum para finalizar, e aí vem a perseguição, drama, agressões e ameaças.
    Infelizmente viver esse tipo de história em achar que conseguimos resolver sozinha buscando meios para desligar-se, esquecemos que o tempo passa e quem é obsessivo nunca desistirá e você se depara com a baixa auto estima. o obsessivo nunca enxergará o mal que lhe fez! vem com mil promessas, presentes, e claro, um amor e exemplo de homem, mas por pouco tempo pois tudo volta assim que retorna
    e passa duas semanas tudo retorna pior, e você se vendo sempre sozinha, mal amada, isso tudo por acreditar nas belas palavras e falsas boas atitudes!
    digo que me arrependo de não ter buscado ajuda de terceiros na primeira agressão.

  • Cleici disse:

    Faz dois anos de separada e não tenho vida própria , e não posso me relaciona com ninguém porque meu ex ameaça de morte , usa nosso filho contra mim…..nossa eu não posso sair ele me segue, fica na esquina de casa a noite me cuidando para ver se vou sair, nossa isso e muito ruim….eu sofro , meu filho sofre, e horrível vive prisioneira assim…..a psicóloga dele falo para mim tomar cuidado com ele…..não sei mais oq fazer…

  • Sueli disse:

    Tenho 48 anos, separada ha seis anos, ha uns 8 meses atraz conheci um homem de 67 anos, começamos uma paquera e de cara falei que não queria namorar pois gosto muito de minha liberdade e também por ter sofrido muito no meu casamento. Isso já vai fazer um ano e eu não consigo me libertar dele pois ele não compreende quando falo que quero terminar ele faz chantagem diz que vai se matar vai sumir e chora e eu acabo cedendo por que fico com pena, mas estou ficando muito preocupada por que ele já me agrediu por ciumes e por não entender o término do relacionamento, ele me segue em todos os lugares tudo pra ele e motivo de ciúmes eu não sei mais o que fazer pois tenho muito medo dele pelas agressões já sofridas, isso não é normal ele precisa de ajuda psicológica para se livrar dessa obsessão doentia eu já não sei mais o que fazer pois perdi a minha tão sonhada liberdade e virei uma prisioneira porque ele me vigia dia e noite, ele não gosta de ninguém que se aproximam de mim amigas amigos todo mundo não presta pra ele, e muito dificel mas sei que tenho que tomar coragem e chutar esse balde eu não aguento mais.

  • Deixe seu comentário

    Publicidade
    Curta nossa fan page no Facebook
    Publicidade
    Publicidade

    Só existe uma lei no amor; tornar feliz a quem se ama. Stendhal