Toxoplasmose: fique por dentro

Embora a toxoplasmose seja popularmente conhecida como “doença do gato”, a culpa de uma pessoa adoecer não é do felino e sim da falta de higiene e cuidado com a alimentação. É isso mesmo! Para uma pessoa pegar essa doença diretamente do animal, ela precisa ter contato direto das fezes do felino com a boca, ou seja, higiene é o suficiente para não ter problemas.

gato amarelo

Foto: Divulgação

A toxoplasmose é causada por um protozoário chamado de Toxoplasma gondii, que é facilmente encontrado em qualquer parte do mundo. O hospedeiro definitivo é o gatinho e outros felinos, mas vários animais podem carregar esse protozoário.

Como o humano pega essa doença?

As principais maneiras das pessoas terem esse protozoário é ingerindo carne crua ou mal passada que esteja contaminada. Verduras e outros alimentos que contenham o cisto do toxoplasma, também podem ser a fonte de transmissão. Os cistos vindos das fezes dos animais contaminados ficam no solo. Se a pessoa colher verduras e não lavar, acabará ingerindo.

Outra maneira é comendo cocô de um gato que esteja contaminado. Tudo bem que não seja comum as pessoas comerem cocô de animais, mas crianças que estão sem supervisão de um adulto podem mexer nas fezes e colocar a mão na boca ou brincar com terra contaminada e levar o oocisto direto para a boca. (Vantagens de se ter um gato como animal de estimação)

Há também casos de transmissão fetal, ou seja, passada da mamãe para o bebê ainda quando ela está gestando. Para que isso ocorra, a mãe precisa adquirir o toxoplasma durante a sua gestação. Ter contato direto com uma pessoa que tenha a doença não oferece risco nenhum ao humano sadio, pois ela não passa de um para o outro diretamente.

Quais os sintomas?

Na maioria dos casos esta é uma doença assintomática, ou seja, não evolui e não causa sintoma algum. Porém, quando ela se manifesta, o doente pode ter:

• febre
• dores no corpo
• cansaço excessivo
• ínguas
• manchas na pele
• lesão na retina
• problemas de vista e até mesmo cegueira.

Já na toxoplasmose congênita a criança poderá ter:

• estrabismo
• hidrocefalia
• atraso do desenvolvimento neuropsicomotor
• erupção cutânea
• convulsões
• pneumonia
• icterícia (pele e mucosas amareladas)
• cegueira, entre outros.

Quando os principais sintomas são nos olhos, a pessoa pode ter dor ao enxergar, visão completamente borrada, lacrimejamento e até mesmo ficar cega.

Diagnóstico da toxoplasmose

Para saber se a pessoa tem ou não essa doença, evidentemente, é necessário procurar um médico para ser examinados e, se este suspeitar de toxoplasmose, provavelmente pedirá diversos exames. Os sintomas da toxoplasmose se confundem com diversas outras doenças. Por exemplo, quem nunca teve febre na vida? Ou algumas manchas na pele? Por isso, para se ter certeza do que realmente é, exames se fazem necessários.

Dentre os exames complementares que podem ser solicitados pelos médicos estão a tomografia computadorizada do crânio, ressonância magnética da cabeça, hemograma, leucograma e títulos de anticorpos para a toxoplasmose. Dependendo do quadro clínico apresentado, outros tipos de exames podem ser solicitados pelo profissional para que ele consiga chegar a um diagnostico definitivo, afinal, a pessoa pode ter o protozoário, sem apresentar qualquer sintoma dela.

Assim, se faz necessário concluir que os sintomas declarados são realmente da toxoplasmose ou de outra doença que está instalada no organismo, para que o tratamento adequado possa ser estabelecido.

Tratamento da toxoplasmose

O tratamento se faz necessário para todos os que apresentarem sintomas e em especial para paciente imunodeprimidos, pois a evolução pode ser mais rápida. Este é feito com quimioterápicos e em alguns casos, associados a acido fólico e prednisona. As gestantes requerem um cuidado e um tratamento especial para se tentar evitar danos ao bebê.

É possível evitar a toxoplasmose? Como?

Sim, é possível e relativamente fácil evitar a toxoplasmose. Cuidados básicos na rotina diária com a higiene e com a alimentação fazem com que os riscos de se ter toxoplasmose, sejam descartados.

• Não coma fezes de gato. Essa afirmação parece obvia, mas é muito seria. Retire as fezes do gatinho com a pazinha e descarte-a de maneira adequada. Lave a mão e não coloque resto de fezes que pode por ventura ter esbarrado nas mãos, na boca. O gato nem sempre tem esse protozoário, mas mesmo que ele tenha, se você tiver o mínimo de higiene, não pegara a toxoplasmose.

• Lave muito bem as mãos e os alimentos, principalmente os que forem ser ingeridos cru.

• Não coma carne crua nem carne mal passada.

• Use uma faca para alimentos crus e outras para o cozido. Se você usou a faca em um alimento cru contaminado, cozinhou o alimento e depois de pronto usar a mesma faca sem lavar, vai carregar nela todos os microrganismos já existentes anteriormente e dentre eles pode estar o do toxoplasma.

• Se você está grávida, faça o pré-natal corretamente.

Tenha o mínimo de higiene e não pegue toxoplasmose. A culpa não é do gato, é da sua falta de higiene!

Por Milena Godoy / Edição: Dona Giraffa

Confira também

# É possível criar um cão em um apartamento?

Loading...
Seja o primeiro a comentar em Toxoplasmose: fique por dentro

Deixe seu comentário