Espinha interna: tratamento e prevenção

Ostentar uma espinha na cara tira o bom humor de qualquer uma e quando lidamos com uma espinha interna, o problema fica ainda pior! A espinha interna é ainda mais feia que a normal e demora em sumir, nos deixando com um visual terrível, como se fosse um sinaleiro no rosto que chama a atenção de todo mundo.

Espinha interna

Foto: (c) Can Stock Photo

Ok, exagerei..mas não é chato ter uma espinha na cara quando precisamos sair? Por mais que saibamos que isso é normal de acontecer, a espinha interna pode deixar até as mais seguras de si, com a auto-estima lá embaixo.

Para que você não sofra com a temível inflamação interna, leia o nosso post e adote algumas medidas que, com certeza, vão deixar a sua pele lisinha e sem nenhuma espinha!

A espinha interna

A espinha normal aparece quando o poro da pele é obstruído por causa de uma oleosidade excessiva e forma um pequeno ponto vermelho que pode conter também pus.

Porém, aqui estamos falando da espinha interna, que também passa por este mesmo processo, mas ao invés de formar um pequeno vulcão na sua face, ela fica escondida embaixo da pele!

E se você espremê-la, ela não vai murchar. O resultado de uma apertadinha vai ser a espinha roxa (pois ela estourou dentro da sua pele) e ainda mais inflamada! Que situação, né gente?!

-> Confira como evitar e combater a acne (espinhas)

Por esta razão, quanto mais você mexer nela, mais ela vai demorar em desaparecer.

Tratamento contra espinhas

Quem não está com muito dinheiro para ir à dermatologista ou a uma clínica de estética pode tentar retirar a espinha interna em casa. No entanto, se ela não sair com estes truques, não mexa mais nela e procure um médico ou deixe o tempo curá-la.

Limpando o rosto

Foto: (c) Can Stock Photo

1º Truque: Pegue algodão e água quente. Faça uma compressa na região inflamada e deixe agir por alguns minutos. A espinha deve sair naturalmente, caso ela não saia, repita o processo.

2º Truque: A danada não saiu? Então, pegue uma panela e coloque água para ferver. Quando o vapor começar a sair, desligue o fogo e pegue uma toalha de banho para fazer uma pequena sauna. Coloque o pano na cabeça e fique com o rosto próximo ao vapor. Lembre-se: o vapor também queima e você deve testar se o mesmo não está quente demais.

3º Truque: Ainda não deu certo? Apele para o chá preto. Faça uma compressa e aplique em cima da espinha.

Evitando a espinha interna

A espinha interna não parece à toa: seu surgimento tem a ver com o aumento da produção sebácea da pele que obstrui os poros.

Para que você não sabote a sua própria pele, siga estas dicas para nunca mais ter que lidar com uma maldita espinha.

Lavando o rosto

Foto: (c) Can Stock Photo

Cheque os seus hormônios: Quem já passou da adolescência e ainda sofre com as espinhas deve procurar o ginecologista para saber se tem a síndrome dos ovários policísticos ou alguma alteração hormonal.

Tome pílula: A presença em excesso do androgênio, hormônio masculino, aumenta a produção de sebo e conseqüentemente causa as espinhas. Peça ao seu médico que receite uma pílula que também melhora a aparência da pele.

Sempre lave o rosto: Lave o rosto pelo menos uma vez por dia com um sabonete adequado para o seu tipo de pele. Eu já usei o Effaclar, da La Roche-Posay e o sabonete líquido para acne e oleosidade da pele, Epidac, da Mantecorp. Ambos deram ótimos resultados.

Tenha uma alimentação balanceada e fuja dos alimentos gordurosos!

Esfoliação: faça um tratamento de pele uma vez a cada quinze dias se o seu caso for grave. Do contrário, você pode fazer uma esfoliação caseira com açúcar e mel (não esfregue a mistura com força no rosto, faça os movimentos delicados).

Procure por protetor solares com gel e maquiagens oil free.

Por Samantha Alievi
Redação Dona Giraffa
Crédito das Imagens: (c) Can Stock Photo

Confira também

# Receitas caseiras de máscara facial
# Dicas para diminuir as olheiras
# [Acne – cravos e espinhas] – Como remover manchas de espinhas
# [Limpeza de pele] – Receitas caseiras para remover manchas na pele

Loading...
Seja o primeiro a comentar em Espinha interna: tratamento e prevenção

Deixe seu comentário