Ciúmes é prova de amor ou insegurança?

Postado por

Estamos no século XXI, mas parece que a mente das pessoas não evolui conforme o tempo. Cada vez mais nos vemos atrelados aos costumes e valores que não se encaixam nessa sociedade.

Preconceitos e atitudes que fazem jus aos séculos de nossos bisavós, e não ao nosso. Com uma sociedade cada vez mais dinâmica e conectada, somos vítimas de crenças que só nos atrasam. Uma delas é o ciúme.

Leia o texto a seguir e entenda porquê não faz o menor sentido sentir ciúmes.

Tudo é culpa do nosso ego. E da sociedade.

Mas antes, tenha calma. Não se culpe por sentir ciúmes e nem vá querendo excluir de vez esse sentimento. Infelizmente, o ciúme está atrelado ao nosso ego desde criança quando não gostávamos muito de dividir nossos brinquedos com outras crianças.

Amor

Foto: (c) Can Stock Photo

Aí a gente cresce, estuda, trabalha, ganha um dinheiro e começa a comprar coisas. Nossas coisas. Nós suamos e trabalhamos para comprar o que quer que seja para nossa sobrevivência. Casa, carro, roupas, comida. Passamos a empregar com maior frequência o pronome possessivo ‘meu’.

-> Saiba se seu ciúme está ou não dentro do limite

Vivemos numa sociedade capitalista, e é isso que ela prega. Tornamo-nos seres individualistas ao cubo. E claro, igualmente egoístas. Conhecemos pessoas, nos interessamos por uma delas, começamos um relacionamento. E aí a pessoa se torna ‘meu namorado’ ou ‘minha esposa’.

Novamente, empregamos um pronome de posse. Mas espera. Em momento algum assinamos um cheque ou passamos algum cartão de crédito que garantisse (e provasse) que essa pessoa nos pertence.

-> Pessoas possessivas, amor verdadeiro ou amor doentio?

Exceto nas sociedades em que não existe liberdade para escolhermos com quem iremos nos relacionar, esse ‘meu namorado’ ou ‘minha esposa’ está ao nosso lado por escolha. Ninguém a obrigou a tal coisa.

Até aqui deu pra perceber a irracionalidade em tal sentimento, certo? Está tudo bem, é normal sentir ciúmes. Assim fomos criados. Mas esse ciúme tem limite.

Porque não faz sentido continuar a sentir ciúme

Se você entendeu o texto acima, deve estar se sentindo um tanto culpado por nutrir um sentimento assim. Especialmente se você é daquele tipo que não deixa seu (sua) parceiro (a) usar tal roupa ou já arranja briga num bar só porque alguém veio dar em cima da pessoa amada.

-> Saiba quais são os tipos de ciúmes | Descubra o seu!

O primeiro passo você já deu, que é reconhecer que não faz sentido sentir ciúme. O segundo passo é convencer seu cérebro disso.

Ciúmes

Foto: (c) Can Stock Photo

Afinal, você é quem teve trabalho pra conquistar a pessoa; você é quem ficou ligando e mandando mensagens, investindo na paquera; você é quem levou a pessoa pra sair; você é quem planejou a noite pra que ela fosse perfeita. Mas não se engane. Seu cérebro está confundindo as coisas. Você não pertence à pessoa, e nem ela está sob sua posse.

O ciúme e a insegurança

Pessoas inseguras e com baixa autoestima tendem a ser mais ciumentas. Isso porque elas não conseguem se convencer de que são merecedoras do amor de determinada pessoa. Ou então existe uma sensação de ameaça diante de pessoas mais bonitas ou mais sucedidas, por exemplo.

-> 10 passos para controlar o ciúme que você sente

E, numa tentativa de evitar uma troca ou uma traição, o ciúme aparece como uma maneira de tentar ter algum controle sobre algo que é praticamente incontrolável. Sentindo ciúme ou não, a pessoa que você ama e diz amar você pode mudar de ideia da noite para o dia. Ninguém é obrigado a ficar ao seu lado pra sempre. E é aí que reside a beleza do amor. É essa liberdade em poder ir e vir.

Claro que, uma vez num relacionamento, supõe-se que a pessoa aja como tal ao invés de estar comprometido e agir como solteira. Sentir ciúme de um livro ou qualquer outro objeto é normal. Mas sentir ciúme de algo que nunca foi e nunca será seu é um resquício de pensamento medieval.

Pra não sentir ciúme, entenda que você é responsável pela sua felicidade. Em segundo lugar, valorize-se. E em terceiro, deixe a pessoa amada livre. Não trate o ser amado como um objeto ou algo que esteja acorrentado a você (seja lá por meio de contratos ou alianças). Afinal, somos seres humanos acima de tudo.

Por Camila Mazi
Redação Dona Giraffa
Crédito das Imagens: (c) Can Stock Photo

Confira também

# 10 sinais que você está vivendo um amor verdadeiro
# Como saber se é paixão, amor ou atração?
# [Aprenda a controlar o ciúme] – Como evitar a possessividade no relacionamento
# [Aprenda a controlar o ciúme] – Confira oito passos para controlar o excesso de ciúme

Seja o primeiro a comentar em Ciúmes é prova de amor ou insegurança?
Deixe seu comentário: