Responsive image

O destruidor de relacionamentos

Certos relacionamentos sobrevivem a uma grande perda, a uma traição, a algo que pode parecer imperdoável. Muitos relacionamentos continuam inteiros ao longo do tempo, apesar do desgaste natural dos anos que passam. É lógico que é preciso cultivar o amor para que ele sobreviva, mas será que existe algo que é capaz de destruir qualquer relacionamento?

Sim, existe! O vilão dos relacionamentos é a mágoa. Se você quiser ter uma ideia de como está um relacionamento, verifique a mágoa acumulada no íntimo de cada um.

Os desgastes entre duas pessoas que convivem existem e sempre existirão, na medida em que cada ser é um conjunto de características muito diferentes. É preciso que, com carinho e conversa, as duas pessoas que convivam saibam como contornar certas situações, saibam identificar onde ceder e onde mudar.

Mesmo assim, há relacionamentos que sobrevivem por anos a fio – até que a morte os separe – mesmo com muita discussão. Então não necessariamente é o desgaste entre os dois que pode fazer ruir um relacionamento.

Algumas relações, ainda, sobrevivem a grandes decepções, mas isso só acontece por que foi preciso aprender a perdoar. Quando não há esse perdão de fato, ou seja, quando a mágoa persiste e volta a todo instante a reivindicar o impossível, não há relacionamento que sobreviva.

É preciso deixar que o passado fique no passado. A cada acontecimento desagradável, a cada desentendimento, a cada mágoa que possa ficar: resolva com o outro de uma vez por todas! Discuta o que tiver que discutir, esqueça (se for possível) e que a mágoa morra aí.

Certas pessoas dizem que perdoam, mas, no próximo desentendimento, desenterram todos os defuntos: relembram mais uma vez todas as vezes que o outro a magoou. O problema é que no longo prazo isso gerará um acúmulo de ressentimentos que será insuportável para ambas as pessoas.

Isso porque, quando alguém se coloca como vítima, enumerando as vezes que o outro a feriu, na verdade ela está sendo vilã, cobrando do outro algo irrecuperável, não permitindo que ele possa recomeçar, jogando em cima de suas costas, mais uma vez, todo o peso do que já passou.

O outro, que pode ter ofendido certas vezes sem querer, que pode ter errado sem ter como consertar, que pode ter magoado sem nem perceber – o outro fica sem possibilidade de ação, pois nada que ele faça irá diminuir o acúmulo de pontos negativos, que só tende a aumentar com o passar dos anos. Que a pessoa rancorosa possa deixar de sê-lo, usando seus recursos de memória para alimentar o que é positivo: relembrando e guardando consigo o que de bom o outro possa ter feito por ela.

Por Érica Marina
Redação Dona Giraffa

Confira também

# Traição virtual como descobrir?
# Paquera on-line é traição?
# Não deixe seu relacionamento esfriar
# Postura perante a traição na relação amorosa
# Como a internet pode dar fim ao seu namoro?
# Pessoas possessivas, amor verdadeiro ou amor doentio

4 Comentários em O destruidor de relacionamentos
  • Lucas disse:
    Texto sensacional, me identifiquei muito! Infelizmente sou o vilão da história acumulei muitas magoas e constatemente lembro delas em discussões. E hoje devido a certas magoas eu penso que ela já não é mais a pessoa que gostaria de ter ao meu lado. Esse pensamento está quase terminando meu relacionamento. Será que tem volta? Será que é possivel liberar e esquecer o passado? Gostaria de saber sua opnião. Um abraço. Lucas
  • Érica Marina disse:
    Lucas, isso tem volta se você quiser. Perdoar é uma escolha sua. Uma forma de começar a esquecer é não colocando em pauta mais uma vez a mesma ladainha já discutida anteriormente.
  • Thiane disse:
    Passei por isso no meu relacionamento. Não consegui superar algumas coisas coisas que aconteceram e acabei fazendo isso. Sou até contra mas acabei por começar a falar das coisas passadas pq a promessa de melhora era constante, só que não resultava em nada. Nunca havia melhoria. Aí depois de tanta briga,..na última (causada por uma falha que eu não perdoei), ele decidiu que era melhor separarmos. De início, ele falou que poderíamos tentar novamente, mas eu não consegui demonstrar tranquilidade ou satisfação, só fiquei com a mesma cara de chateada, calada..então ele disse que era melhor assim, que separássemos. Quero conversar, tentar resolver, estou disposta a perdoar e encarar a nova chance…apenas tenho medo de que, na verdade, o motivo das falhas pode ter sido falta de amor ou desistência mesmo, desinteresse ou algo assim. E por isso tenho receio de tomar inciativa achando que ainda há amor e vontade da parte e acabar me machucando de novo. Alguma opinião, por favooor..
  • Jonathas disse:
    Meu problema é´parecido com o do Lucas em um momento em que mais precisei minha namorada se distanciou e isso foi uma facada em minhas costas, voltamos um ano depois só que nada é igual aos 5 anos anteriores ela tenta de todas as formas recuperar e melhorar só que eu não consigo esquecer e a todo momento tenho duvidas sobre o que sinto e se realmente quero continuar…
  • Deixe seu comentário

    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade
    O ignorante afirma, o sábio duvida, o sensato reflete. Aristóteles